This content is not available in your region

Lala Karamenko vence torneio de ginástica rítmica "Divina Graça"

De  Euronews
euronews_icons_loading
Lala Karamenko vence torneio de ginástica rítmica "Divina Graça"
Direitos de autor  Euronews

O torneio internacional experimental de ginástica rítmica "Divina Graça" concluiu-se de forma triunfante em Moscovo.

A estrela foi a russa Lala Kramarenko, de 17 anos, que conseguiu uma vitória assertiva nos quatro eventos individuais do espetáculo.

No último dia do torneio, as ginastas realizaram as rotinas de maças e fitas. Lala Kramarenko, que já ia na frente, obteve a pontuação mais alta, com 37,4 pontos pela sua rotina de maças, graças a uma execução sem falhas, e ao regulamento particular do torneio, que permitiu a inclusão do maior número possível de elementos corporais.

Foi um grande esforço de treinamento de novas rotinas, que compensou.

"Este programa é muito diferente dos regulamentos atuais. Inúmeros elementos foram acrescentados a estas regras, pelo que o seu desempenho foi muito mais difícil fisicamente", disse Kramarenko.

As irmãs Averina (Arina e Dina), líderes da equipa da Rússia nos últimos 5 anos e múltiplas campeãs do mundo e da Europa, apreciaram esta experiência de novas regras.

"Sim, esta foi uma excelente experiência porque é um tipo de ginástica completamente diferente. O que as raparigas aqui estão a fazer é muito mais bonito quando comparado com os regulamentos atuais. Seria ótimo para este torneio desenvolver-se ainda mais, e para nós tentarmos participar", diz uma das irmãs.

Anna Kamenshikova da Bielorrússia e Ketevan Arbolishvili da Geórgia, que ficaram em segundo e terceiro lugar, sentiram-se confiantes com o novo Código de Pontos, que estará em vigor de 2022 até 2024.

A fita, o elemento mais complicado e mais espetacular, não introduziu qualquer alteração no painel de pontuação do torneio, mas trouxe um prazer particular para todos os admiradores da ginástica.

Na sua rotina de encerramento, Lala Kramarenko realizou, sem falhas, este elemento a que a Federação Internacional de Ginástica atribuiu o seu nome, em 2021.

Lala Kramarenko ganhou o primeiro torneio "Divina Graça" de sempre com uns magníficos 141,56 pontos. Anna Kamenshikova da Bielorrússia reclamou a prata, enquanto a campeã georgiana, Ketevan Arbolishvili, levou para casa o bronze.

Os seus resultados são a prova de que a ideia deste torneio, promovido pela campeã olímpica Alina Kabaeva, foi um sucesso.

Alina Kabaeva, que é agora diretora da sua própria fundação, refere: "Eu estava muito preocupada que a dada altura algo corresse mal, porque o regulamento era incrivelmente difícil para a ginástica rítmica de hoje. De facto, alguns países disseram: "Alina, perdoa-nos, por favor. Queremos realmente vir ao torneio, mas ao mesmo tempo não queremos parecer tolos. Vamos apenas prometer que no próximo ano estaremos lá". Mas penso que esta celebração do desporto correu bem e que foi da mais alta qualidade".

O torneio "Divina Graça" deve regressar à capital russa, uma vez que os organizadores do evento prometeram transformá-lo numa tradição.