This content is not available in your region

2021: os momentos marcantes da pandemia de Covid-19

Access to the comments Comentários
De  Lena Roche  & euronews
euronews_icons_loading
2021: os momentos marcantes da pandemia de Covid-19
Direitos de autor  euronews

O ano de 2021 fica marcado pela pandemia de Covid-19 e pelo surgimento de novas variantes do vírus Sars Cov 2.

A esperança da vacina em 2021

Em Janeiro de 2021, um ano após a primeira morte atribuída à Covid-19, a maioria da população da Europa está confinada ou sujeita a uma série de restrições. Todas as esperanças se centram na aprovação pela Agência Europeia de Medicamentos das vacinas Biontech Pfizer, Moderna e AstraZeneca. Os primeiros a serem vacinados são os profissionais de saúde e os idosos mais frágeis. Mas o arranque da campanha de vacinação na União Europeia é lento devido às interrupções no fornecimento de vacinas.

A variante Delta na Primavera

Na Primavera, a variante Delta, detectada pela primeira vez na Índia em finais de 2020, marca uma nova fase da pandemia. Os hospitais ficam sobrelotados e faltam garrafas de oxigénio. A variante Delta é mais transmissível do que a estirpe do vírus original, e espalha-se mais depressa pelo mundo.

O Certificado Digital da UE e os protestos contra o passe sanitário

Em Junho, o Parlamento Europeu aprova o certificado digital para a Covid-19. O documento prova que a pessoa respeita um dos três critérios, está vacinada, recuperou da doença ou tem um teste negativo. O objectivo é facilitar a circulação das pessoas. Pouco a pouco, a maioria dos países europeus exige um passe sanitário para aceder a vários locais. Uma obrigação que suscita protestos em várias cidades europeias. Milhares de pessoas manifestam-se contra o passe sanitário e a obrigatoriedade da vacina. O movimento anti-vacina alicerça-se numa desconfiança mais geral em relação aos governos e nas teorias da conspiração divulgadas em grande parte por organizações de extrema-direita.

O verão da Liberdade e o avanço da vacinação

Julho marca o fim progressivo das restrições um pouco por toda a Europa. A Grã-Bretanha celebra em Julho o chamado "Dia da Liberdade". No final de Agosto, na União Europeia, 70 % dos adultos estão totalmente vacinados. Mas a comissão europeia recomenda prudência.

"A pandemia ainda não acabou, devemos permanecer vigilantes. Por isso, é importante que muitos mais europeus sejam vacinados rapidamente, a fim de evitar uma nova onda de infecções e impedir o aparecimento de novas variantes", afirmou Ursula von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia, no dia 31 de agosto.

A nova variante Ómicron

No Outono, a Europa volta a estar no epicentro da pandemia. Os casos de Covid-19 aumentam nos países da Europa de Leste, onde as taxas de vacinação são baixas. Países como a Alemanha e a Áustria lutam contra o vírus. A maioria dos doentes internados nos cuidados intensivos são pessoas não vacinadas. O novo desafio é a variante Ómicron da Covid-19. A nova mutação que pode ser mais perigosa foi identificada na África do Sul. O Presidente do país afirma que se trata de um alerta e que é preciso pôr fim à desigualdade no acesso às vacinas.

Uma nova vacina na Primavera 2022

Os laboratórios já estão a desenvolver uma nova vacina que deverá estar pronta na Primavera. Mas garantem que apesar da menor eficácia contra a Ómicron, as atuais três doses continuam a ter um efeito protetor.