This content is not available in your region

"Esta guerra não é nossa": Ucranianos defendem paz à beira de conflito armado com Rússia

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
"Esta guerra não é nossa": Ucranianos defendem paz à beira de conflito armado com Rússia
Direitos de autor  Sergei Grits/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.

A aparente tranquilidade de uma vida normal na cidade costeira de Mariupol, este sábado, não espelhava a atualidade da região no leste da Ucrânia, onde os líderes separatistas ordenaram a total mobilização militar.

Nas aldeias próximas, o trabalho dos agricultores prosseguiu mesmo após várias explosões à distância terem soado durante a noite.

Vladimir vive numa dessas localidades, em Lebedynske. Agricultor de profissão, demarca-se das decisões que têm encaminhado o país para um iminente conflito com a Rússia.

"O que podem eles fazer? Deviam sentar-se e ter uma conversa como seres humanos. É assim tão difícil? Tenho parentes do outro lado, a minha mulher tem familiares em Lviv. É suposto lutarmos, dividirmo-nos? Esta guerra não é nossa, esta guerra é dos políticos e nós é que sofremos", lamenta.

Vadim Ghirda/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.
Criança debate-se com remoção de munições de um carregador durante treino de combate para civis, organizado por forças ucranianas, em MariupolVadim Ghirda/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.

A escalada de violência dos últimos dias entre as forças ucranianas e os rebeldes pró-Rússia no leste da Ucrânia não matou a esperança numa solução pacífica para o conflito, a quem vive a quilómetros de distância.

Em Kiev, onde agora vive, Alona diz tentar "manter a calma e não entrar em pânico". Mas, enquanto originária de Carcóvia, está preocupada com a família que deixou na cidade natal. A esperança, acrescenta, é de "que a situação melhore e se torne mais tranquila".

Também na cidade se deseja um caminho para a paz diferente daquele que tem sido seguido pelos políticos.

Para Victoria, também a residir na capital ucraniana, a atual tensão deve-se a "propaganda criada artificialmente", não hesitando em afirmar "somos pela paz em todo o mundo".

Efrem Lukatsky/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.
Civis treinam com grupo paramilitar Legião Nacional da Geórgia, em Kiev, UcrâniaEfrem Lukatsky/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.

Mas em Kiev há quem já se prepare para o conflito. A Legião Nacional Georgiana, um grupo paramilitar de voluntários formado em 2014 para combater as agressões da Rússia contra a Ucrânia, está a ensinar mulheres a defender-se no cenário de guerra.

Mamuka Mamulashvili, comandante da legião, diz que serão treinados em Kiev 3.000 voluntários.