Mais de 600 pessoas detidas nas manifestações na Rússia

Mais de 600 pessoas detidas nas manifestações na Rússia
Direitos de autor AP Photo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

668 pessoas foram detidas nas manifestações contra a guerra na Ucrânia, este domingo, na Rússia. Sondagens mostram que a sociedade russa está dividida

PUBLICIDADE

Na Rússia, onde as manifestações contra a invasão da Ucrânia têm sido reprimidas pela polícia, o grupo de defesa dos direitos humanos, OVD-Info, revela que foram detidas 668 pessoas este domingo.

As sondagens mostram que, em Moscovo, 60% dos residentes desaprovam o uso da força militar na Ucrânia, mas, nas zonas rurais, 70% das pessoas apoiam a decisão do presidente.

Os sociólogos independentes do Centro de sondagens Levada confirmam estas duas tendências e explicam-nas. O supervisor científico do Centro-Levada, Lev Gudkov diz: "Durante vários anos a população foi formada pela mais forte propaganda... Não têm outras fontes de informação além da televisão, por isso acreditam que a liderança russa fez a coisa certa. Aqueles que estão mais informados e recebem informações de várias fontes, estão horrorizados, envergonhados, em depressão".

Segundo a OVD-Info houve manifestações em 36 cidades russas e também detenções em todas elas, mas o número de pessoas que protestaram a nível nacional parecia ser muito inferior ao dos últimos grandes protestos de uma semana atrás, quando o OVD-Info listou mais de 5.000 pessoas que foram detidas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Milhares de pessoas em várias cidades pedem fim da guerra na Ucrânia

Ucrânia receia grande avanço russo no próximo verão

Dezenas de detenções em toda a Rússia no dia do funeral do "herói" Navalny