EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Péter Márki-Zay um novo ator na política húngara

Péter Márki-Zay um novo ator na política húngara
Direitos de autor -/AFP or licensors
Direitos de autor -/AFP or licensors
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Apresenta-se às eleições sem pertencer a nenhum partido.

PUBLICIDADE

O candidato a primeiro-ministro da aliança de toda a oposição na Hungria é um novo ator na política. Péter Márki-Zay presidente da câmara de Hódmezővásárhely ganhou proeminência em 2018, quando venceu surpreendentemente as eleições na pequena cidade que era liderada pelo Fidesz, de Viktor Órban, durante décadas.

Márki-Zay provocou uma surpresa semelhante em outubro passado quando ganhou as primeiras primárias na história da Hungria, provocando o abandono da candidatura do presidente da câmara de Budapeste, Gergely Karácsony, e derrotando a vice-presidente do Parlamento Europeu, Klára Dobrev.

Péter Márki-Zay apresenta-se às eleições sem pertencer a nenhum partido e a liderar uma coligação bastante heterogénea formada por toda a oposição. Uma aliança que inclui o partido do antigo primeiro-ministro socialista Ferenc Gyurcsány, a Coligação Democrática, e o Jobbik, que concorreu contra ele como partido de extrema-direita.

Para tornar a situação mais complicada, enquanto o Fidesz, no governo, se define como um partido conservador de direita, e a maioria dos membros e apoiantes da aliança da oposição tendem a ser de esquerda e liberais, Márki-Zay tem posições claramente de direita. É um católico devoto com sete filhos. A sua visão económica é também mais conservadora do que a dos que o apoiam.

Tem sido muito eloquente nos ataques a Viktor Orbán e ao seu governo em temas como a corrupção, legislação anti-gay e empresários russos e do Médio Oriente autorizados a entrar na Hungria com autorizações de residência - e passaportes da União Europeia.

A máquina de propaganda de Fidesz está constantemente a tentar retratar Márki-Zay como um fantoche do antigo Primeiro-Ministro Ferenc Gyurcsány, apesar de nas primárias ter derrotado a sua esposa, Klára Dobrev, vice-presidente do Parlamento Europeu. Desde o início da invasão russa da Ucrânia, tem sido atacado por alegadamente apoiar o envio de soldados húngaros para a guerra, embora nunca tenha feito tal declaração.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Calor extremo obriga Hungria a ativar alerta vermelho e coloca em risco pessoas que vivem na rua

Televisão pública húngara emite debate político pela primeira vez em 18 anos

Na Hungria, uma nova oposição liderada por Péter Magyar desafia Viktor Orbán