This content is not available in your region

Volodymyr Zelenskyy visita Bucha e acusa Rússia de "genocídio"

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, visita Bucha, nos arredores de Kiev
Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, visita Bucha, nos arredores de Kiev   -   Direitos de autor  RONALDO SCHEMIDT/AFP or licensors

A poucos metros de distância uns dos outros, corpos caídos pelas ruas contam parte da recente história de guerra em Butcha. Após ter tomado a cidade nos arredores de Kiev às forças russas, o exército ucraniano diz ter encontrado 410 cadáveres, todos de civis, assassinados a tiro, alguns ainda de mãos atadas.

O presidente Voldymyr Zelenskyy fez questão de testemunhar a barbárie, esta segunda-feira, no terreno, onde afirmou aos jornalistas estarem perante "crimes de guerra", que "serão reconhecidos pelo mundo como genocídio". 

"Sabemos que há milhares de pessoas mortas e torturadas, decepadas, mulheres que foram violadas e crianças assassinadas. Penso que isto é mais do que... Isto é um genocídio", acrescentou o chefe de Estado ucraniano.

Autarcas alvo de homicídio e rapto

Nas ruas, ou em valas comuns, muitas das vítimas apresentam sinais de tortura. A poucos quilómetros de Bucha, na cidade de Motyjyn, o corpo da autarca local, Olha Sukhenko, desaparecida há 10 dias, foi encontrado numa vala comum, junto aos cadáveres do marido e do filho.

A notícia foi confirmada, este domingo, pela vice-primeira-ministra da Ucrânia, Iryna Vereshchuk, que diz haver ainda 11 autarcas ucranianos reféns do exército russo.

Moscovo e Ocidente trocam acusações

Moscovo nega a responsabilidade do massacre e inverte as acusações. De acordo com o Kremlin, o cenário dantesco nos arredores da capital ucraniana é fruto de uma encenação.

O ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Sergei Lavrov, alega que "os militares russos retiraram-se completamente da cidade a 30 de março. A 31 de Março, o presidente da câmara de Bucha disse solenemente que, para ele, estava tudo. Mais dois dias depois, vimos como a encenação foi organizada nas ruas e estão agora a tentar usá-la para fins anti-russos".

O governo ucraniano apelou entretanto ao Tribunal Penal Internacional para que investigue a morte de civis na cidade. Mas do outro lado do oceano, Joe Biden não quis esperar. O presidente dos Estados Unidos disse esta segunda-feira que Vladimir Putin deveria responder pelos crimes de guerra em Bucha