This content is not available in your region

Viktor Orbán exorta Vladimir Putin a declarar um cessar-fogo imediato na Ucrânia

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Viktor Orbán na noite das eleições de 3 de Abril.
Viktor Orbán na noite das eleições de 3 de Abril.   -   Direitos de autor  Petr David Josek/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, revelou esta quarta-feira em conferência de imprensa que, em conversa telefónica com Vladimir Putin, o exortou a declarar um cessar-fogo imediato na Ucrânia.

Viktor Orbán sugeriu que "o presidente russo, o presidente ucraniano, o presidente francês e o chanceler alemão, fossem tanto quanto antes a Budapeste, para um encontro cujo único objetivo não é uma negociação de paz ou um acordo de paz, que requereriam mais tempo, mas sim a negociação de um acordo para o cessar-fogo imediato."

Questionado sobre se poderia escolher de que lado está no conflito entre a Rússia e a Ucrânia, Viktor Orbán afirmou que "a Rússia é o agressor" e que "os civis devem ser protegidos."

Segundo o primero-ministro, a situação é clara: esta é "uma guerra que os russos começaram, foi a Rússia que atacou a Ucrânia, e isso é agressão."

Para o chefe do governo húngaro, a importação de gás da Rússia "é fundamental." O governo está também disposto a fazer concessões que vários países da União Europeia recusaram.

"Não temos dificuldade em pagar em rublos," disse o primeiro-ministro, "por isso, se a Rússia assim requerer, pagaremos em rublos," acrescentou.

Viktor Orbán declarou ainda que a economia húngara continua em boa forma e que não há qualquer possibilidade de austeridade.

Referindo-se à sua confortável vitória nas eleições do domingo passado, disse aos eleitores da oposição que "nenhuma vitória é definitiva e nenhuma derrota é fatal."