This content is not available in your region

França acusa mercenários russos de “ataque de informação” no Mali

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Imagens de drone filmadas no Mali pelo exército francês mostram encobrimento de cadáveres
Imagens de drone filmadas no Mali pelo exército francês mostram encobrimento de cadáveres   -   Direitos de autor  AFP

O exército francês acusa mercenários russos de enterrar corpos no norte do Mali com o objetivo de acusar as tropas europeias de ter criado uma vala comum.

Como prova, a Defesa francesa divulgou imagens aéreas, filmadas perto da base de Gossi, em que diz ser possível ver soldados caucasianos a cobrir cadáveres com areia.

A divulgação do vídeo surge após alguém, no Twitter, que apresenta como Dia Diarra r se descreve como um "ex-soldado" e "patriota do Mali" ter acusado na plataforma digital as tropas francesas pelo encobrimento dos cadáveres.

O Estado-Maior das Forças Armadas de França diz-se alvo de um "ataque de informação"; alega ainda que o perfil em causa é falso e foi "muito provavelmente" criado pelo grupo Wagner, uma organização paramilitar privada de origem russa, também conhecida como o "exército particular de Putin".

O Exército francês afirma que a compar ação das fotografias publicadas no Twitter com as imagens recolhidas pelo drone especializado permite fazer uma ligação direta entre o que os mercenários do Wagner estão a fazer e o que é falsamente atribuído aos soldados franceses".

O exército francês transferiu o controlo da base de Gossi para os soldados malianos esta terça-feira,

Paris decidiu em fevereiro retirar-se do Mali, deixando para trás uma deteriorada situação de segurança no país e um clima de tensões entre a França e a junta militar no poder, acusada pelo Ocidente de usar os serviços do grupo Wagner.

À acusação, o Mali responde clarificando que se tratam de simples conselheiros russos.