This content is not available in your region

A Páscoa Ortodoxa em tempo de guerra

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
A igreja de Lukashivka, na Ucrânia.
A igreja de Lukashivka, na Ucrânia.   -   Direitos de autor  Petros Giannakouris/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.

O patriarca Cirilo, líder espiritual da igreja ortodoxa russa, presidiu ao serviço religioso da Páscoa na Catedral de Cristo Salvador, em Moscovo. A missa contou com a presença do presidente russo, Vladimir Putin, e do presidente do município, Sergey Sobyanin.

A congregação foi abençoada com àgua benta e os fiéis tiveram oportunidade para refletir sobre os acontecimentos deste ano. Para a residente Yelena Demidova, este ano a Páscoa é uma oportunidade para rezar pela paz, pela vida de todas as pessoas e por um futuro melhor. Porque a esperança nunca morre.

Este domingo não haverá missa na igreja de Lukashivka, cidade situada no norte da Ucrânia. Após uma ofensiva russa, a igreja está praticamente destruída. Segundo a moradora Olena Matros a igreja foi construída em 1913 e foi sempre palco das mais belas celebrações religiosas, mas agora o futuro é incerto.

Em Chernihiv, uma avó ucraniana fez um bolo tradicional no meio dos escombros. Há um mês que Olena Koptyl e outras doze pessoas se abriguam dos ataques russos na cave da sua casa.

Em Lviv, deslocados e parentes de vítimas da guerra reunem-se à volta da mesa para preparar uma cesta de Páscoa para as tropas que se encontram na frente, uma iniciativa de uma associação de estudantes local e do Museu da Revolução da Dignidade, também conhecido por Museu Maidan

O museu tem como missão registar, exibir e disseminar a história da luta do povo ucraniano pela independência, os direitos humanos, a liberdade e a dignidade humana.