This content is not available in your region

Fugir da Rússia por causa da guerra

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Jornalistas em conferência de imprensa
Jornalistas em conferência de imprensa   -   Direitos de autor  AP Photo/Denis Kaminev

Mais de seis milhões de pessoas já deixaram a Ucrânia desde o início da invasão russa, mas aguerra está também a forçar muitos russos, especialmente aqueles que trabalham nos meios de comunicação social, a fugir da Rússia.

Lena Vasileva é um desses refugiados. Encontrou abrigo em Budapeste e, para retribuir à comunidade, é voluntária numa creche para crianças refugiadas ucranianas. Lena é produtora de televisão e estudou anteriormente na Hungria, por isso conhece Budapeste.

Após o início da guerra, tomou a decisão de sair quase imediatamente. Condena abertamente a invasão russa, uma posição que muitos russos consideram uma traição.

"Quero dizer, para mim, eu não estou a falar contra o país, estou a falar contra o Estado, a burocracia que toma as decisões em nosso nome. Não sou ucraniana, sou russa, e nunca vou ser outra coisa".

Histórias como a de Lena espalham-se nos media do mundo inteiro.

Um dos últimos bastiões dos media russos livres, a Dozhd/Rain TV foi encerrado no início da guerra. O editor adjunto de notícias do canal fugiu para a Lituânia. Dmitry Elovsky diz que agora é quase impossível trabalhar como jornalista na Rússia. Conta que foi muito difícil deixar o país, mesmo quando via os colegas receberem ameaças

"Foi muito duro e muito triste para mim porque passei um mês na Rússia sabendo já que iria partir e nesse mês estava cheio de tristeza por causa da despedida. Estava a empacotar tudo, era como embalar memórias na minha mente".

Dmitry trabalha agora para o canal YouTube do empresário russo exilado, Mikhail Khodorkovsky. Aqui ele pode dizer que o conflito na Ucrânia é uma guerra, algo pelo qual seria punido na Russia. Uma liberdade que o impede de regressar ao seu país, enquanto durar o regime de Vladimir Putin.