EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Putin garante que não trava exportação de cereais

Rússia e Ucrânia representam cerca de um terço do fornecimento mundial de trigo
Rússia e Ucrânia representam cerca de um terço do fornecimento mundial de trigo Direitos de autor Mikhail Klimentyev/Sputnik
Direitos de autor Mikhail Klimentyev/Sputnik
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente russo salienta que oferece "passagem segura" nos portos do Mar Negro

PUBLICIDADE

Face aos receios de escassez alimentar a nível mundial, Vladimir Putin veio garantir que Moscovo não vai bloquear a saída de cereais a partir dos portos no Mar Negro.

Segundo o presidente russo, não há obstáculos "às exportações a partir dos portos sob controlo ucraniano, de Odessa ou outros na região", uma vez que, explica, "foram os ucranianos a minar" essas águas. Putin garantiu assim na televisão estatal russa que, do seu lado, os transportes de cereais têm "passagem segura", sem no entanto mencionar um compromisso formal nesse sentido.

Recorde-se que Rússia e Ucrânia representam cerca de um terço do fornecimento mundial de trigo, por exemplo, e que mais de 40% desse cereal é importado pelo continente africano.

O presidente senegalês e líder da União Africana, Macky Sall, encontrou-se com Putin em Sochi para transmitir precisamente as preocupações em torno do risco agravado de fome em vários países, onde os preços destes alimentos têm sofrido aumentos na ordem dos 45%.

Segundo os representantes das Nações Unidas, há um acordo em vista, que pode também envolver a Turquia. O porta-voz Stéphane Dujarric realçou que "tem havido tomadas de posição prometedoras a surgir de várias capitais. Mas ainda é cedo para falar em datas ou num calendário".

Outro possível caminho passa pela Bielorrússia. O presidente Alexander Lukashenko diz que pode autorizar a passagem de cereais ucranianos rumo ao Mar Báltico caso os produtos bielorrussos também possam ser escoados.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Controversa lei de mobilização entra em vigor na Ucrânia

Guerra na Ucrânia: dez mil pessoas obrigadas a abandonar Kharkiv

Presidente da Geórgia garante em entrevista à Euronews que vai vetar lei dos "agentes estrangeiros"