Apelo à libertação de Assange em Nova Iorque

Esposa de Julien Assange, Stella Assange
Esposa de Julien Assange, Stella Assange Direitos de autor Jonathan Brady/PA
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Fundador do Wikileaks vai recorrer da decisão de extradição para os EUA.

PUBLICIDADE

A defesa de Julian Assange insiste que os Estados Unidos não oferecem garantias de um julgamento justo, depois do governo britânico ter autorizado a extradição do fundador do Wikileaks na sexta-feira. O irmão de Julian Assange diz que ele vai recorrer da decisão ao Supremo Tribunal no Reino Unido, nos próximos 14 dias.

A mulher de Assange, Stella, tem esperança que o governo de Joe Biden decida não acusar o marido invocando a liberdade de imprensa. Acredita que se ele for extraditado para os Estados Unidos será em condições bastante opressivas devido ao caso que enfrenta. Que não se pode montar uma defesa com base na natureza dos documentos que publicou e que isso poderá fazer com que decida tirar a sua própria vida.

O jornalista australiano está no Reino Unido há mais de dez anos, esteve sob prisão domiciliária e depois refugiou-se na embaixada do Equador, em Londres. O fundador do Wikileaks está detido na prisão de alta segurança de Belmarsh.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Velha guarda do rock em peso na abertura da Gibson Garage

Notas com cara de Carlos III entram em circulação em junho

As Falklands pertencem ao Reino Unido? Nova sondagem revela que nem toda a gente na Europa está de acordo