Associação russa apoia militares Buryat que não querem combater na Ucrânia

Fundação "Free Buryatia" - criada pouco depois do início da guerra na Ucrânia
Fundação "Free Buryatia" - criada pouco depois do início da guerra na Ucrânia Direitos de autor "Свободная Бурятия"
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Minorias russas associam-se aos ucranianos.

PUBLICIDADE

Alexandra Garmazhapova é de Buryatia, uma região russa na Sibéria oriental. É líder da Fundação "Free Buryatia" criada pouco depois do início da guerra na Ucrânia, em prol da liberdade. Esta iniciativa anti-guerra começou com o lançamento do vídeo "Buryats contra a guerra", que teve uma resposta bastante positiva. A fundação fornece ajuda jurídica aos militares Buryat que não querem combater na Ucrânia e denuncia o racismo étnico e a xenofobia na Rússia.

Os soldados Buryat foram os primeiros a serem atirados para o inferno da guerra, presumo que o Kremlin simplesmente não se importou com eles, porque não pertencem ao povo que forma o Estado russo.
Alexandra Garmazhapova
Fundação "Free Buryatia"
Muitas pessoas dizem-nos que estão no mesmo barco que os ucranianos. Todos estivemos na União Soviética e todos ouvimos dizer que as nossas línguas eram as línguas dos camponeses. Todos sabíamos que éramos indivíduos de segunda classe, porque para se ser de primeira classe é preciso ser-se russo. Desta forma, o Kremlin não se explicou muito bem em relação à Ucrânia, porque o Kremlin não compreendeu que estas minorias nacionais se associariam aos ucranianos, aos oprimidos.
Alexandra Garmazhapova
Fundação "Free Buryatia"
Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Mãe de Navalny já viu o corpo do filho e diz estar a ser pressionada para aceitar funeral "secreto"

Rússia proíbe atividade da Rádio Europa Livre/Rádio Liberdade

Avdiivka, cidade fantasma na região de Donetsk