This content is not available in your region

80° aniversário do Vel d'Hiv com desenhos de Cabu

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Desenho de Cabu sobre o Vel d'Hiv
Desenho de Cabu sobre o Vel d'Hiv   -   Direitos de autor  screengrab FRFT/EBU

O Memorial da Shoah, em Paris, mostra desenhos desconhecidos de Cabu, de 1967, que relatam o medo e o horror do Vel d'Hiv, o espaço onde foram detidos quase 13 mil judeus.

A 16 e 17 de julho de 1942, às 5 da manhã, agentes da polícia parisiense bateram às portas de famílias judias. Quase 13.000 pessoas foram presas, incluindo 4.000 crianças, a maioria foram levadas para o Vélodrome d'Hiver, não muito longe da Torre Eiffel 

Laurent Joly, diretor de Investigação do CNRS explica: "Continuámos a ter, até aos anos 80, livros para o público em geral, livros escolares que vos dizem "que o Vel d`Hiv é a Gestapo". São os soldados alemães". Mas este livro de 1967, estes desenhos de Cabu - onde Cabu faz uma escolha quase militante - é para representar apenas os polícias franceses porque é a verdade histórica".

O Vel d'Hiv foi um dos mais importantes atos cometidos contra a população judaica na Europa Ocidental durante a Segunda Guerra Mundial. Resta apenas uma fotografia deste cerco.

Na primavera de 1967, a revista Le Nouveau Candide publicou as primeiras páginas de La Grande Rafle du Vel d'Hiv, de Claude Lévy e Paul Tillard. Para ilustrar esta série de cinco partes, a redação recorreu a um jovem cartunista de 29 anos, Jean Cabut, conhecido como Cabu.

A exposição dos desenhos de Cabu pode ser vista, no Memorial da Shoah, em Paris, até 7 de novembro.