Moscovo acusa Kiev de ataque a central de Zaporijia

Ataque a Zaporizhzhia
Ataque a Zaporizhzhia Direitos de autor AP/Russian Defense Ministry Press Service
Direitos de autor AP/Russian Defense Ministry Press Service
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

António Guterres fala em "ato suicida" e apela à suspensão imediata das operações militares junto a centrais nucleares

PUBLICIDADE

A administração da parte ocupada da região de Zaporijia, no sudeste da Ucrânia, anunciou esta segunda-feira a realização de um referendo sobre a adesão à Rússia. É mais um sinal de que Moscovo está a avançar com os planos de anexar território ucraniano apreendido.

A notícia surge numa altura em que os dois lados do conflito continuam a acusar-se mutuamente de bombardear a central da cidade, que passou para o domínio dos soldados russos no início de março.

A Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) já pediu várias vezes para inspecionar o local, e Estados Unidos apelaram esta segunda-feira à Rússia para acabar com toda a atividade militar perto de centrais nucleares.

Também nesta segunda-feira, o secretário-geral das Nações Unidas pediu aos peritos da AIEA  para visitarem a central. Sobre o ataque em Zaporijia, António Guterres disse que atacar regiões perto de centrais nucleares “é um ato suicida”.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Central de Zaporíjia atacada, Ucrânia e Rússia culpam-se mutuamente

Central nuclear de Zaporíjia "fora de controlo", alerta AIEA

Ucrânia lança ataque com drones contra infraestruturas energéticas da Rússia