EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Conferência de doadores angaria 1500 milhões de euros para a Ucrânia

Conferência de doadores angaria 1500 milhões de euros para a Ucrânia
Conferência de doadores angaria 1500 milhões de euros para a Ucrânia Direitos de autor Philip Davali/AP
Direitos de autor Philip Davali/AP
De  Bruno Sousa
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Quantia será usada para garantir equipamento e treino militar às forças ucranianas

PUBLICIDADE

Convidados a abrir os cordões à bolsa para ajudar ao esforço de guerra da Ucrânia, os 26 países participantes na Conferência Internacional de Doadores comprometeram-se a redobrar os esforços para ajudar as forças militares ucranianas no conflito em curso com a Rússia.

De acordo com o ministro da Defesa da Dinamarca, anfitriã do encontro, "os participantes contribuíram com mais de 1 500 milhões de euros para a Ucrânia".

Morten Bødskov referiu ainda que o Reino Unido estava a criar um fundo capaz de financiar um aumento na produção de armamento.

Está previsto um novo encontro do grupo de doadores em meados de setembro, numa corrida sem fim para a Ucrânia.

Para o ministro da Defesa da Ucrânia, Oleksii Reznikov, "não há tempo para a fadiga. É uma maratona e para correr uma maratona é preciso energia. Francamente, neste caso a energia é dinheiro. Os nossos parceiros sabem que precisamos de financiamento e mostram-se prontos para nos apoiar financeiramente."

A ajuda ocidental não se limitou ao dinheiro e vários países comprometeram-se a enviar instrutores militares para formar tropas ucranianas em território do Reino Unido.

O apoio da Conferência Internacional de Doadores junta-se à generosa ajuda que os Estados Unidos têm vindo a providenciar desde o início da guerra e que já ultrapassou os 9 mil milhões de dólares.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Putin pode mudar a doutrina de armas nucleares da Rússia

Biden apoia o filho após condenação, mesmo sem indulto. "Estamos orgulhosos do homem que ele é hoje"

Polónia: Explosão em fábrica de armamento provoca 1 morto