This content is not available in your region

Esta Ucrânia não é para jovens

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Roman Kovalenko, 19 anos, esquerda, afasta-se após visitar o seu amigo Oleksandr Pruzhyna, 18 anos, em Kramatorsk, região de Donetsk, Ucrânia
Roman Kovalenko, 19 anos, esquerda, afasta-se após visitar o seu amigo Oleksandr Pruzhyna, 18 anos, em Kramatorsk, região de Donetsk, Ucrânia   -   Direitos de autor  David Goldman/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.

O pequeno mundo de muitas crianças ucranianas é hoje uma casa mais vazia, como aquelas que duas pequenas amigas em Donetsk viram ser limpas nos últimos dias, após bombardeamentos na região.

A guerra levou telhados, janelas e amigos a quem ficou. Mais de 360 menores terão morrido desde o início conflito, em fevereiro. E até nas atividades mais banais do dia a dia se sente o impacto da deslocação de mais de 9,5 milhões de pessoas em toda a Ucrânia,

Oleksandr Pruzhyna, tem 18 anos e a vida de um avesso comum a tantos outros jovens, não só em Kramatorsk, onde vive, mas em todo o país. Hoje em dia, o único contacto que mantém com alguém da sua idade é com o amigo Roman, uma vez por semana, no parque junto ao prédio onde mora.

"Agora é uma sensação completamente diferente quando se vai lá fora, não há quase ninguém nas ruas. Apenas ando sozinho depois de me encontrar com o meu amigo, Roman. Tenho a sensação de estar num apocalipse. Não tenho nada para fazer a não ser observar o céu ou a natureza à minha volta".

Aos 12 anos, também Anastasiia vive aborrecida, depois de todos os sues amigos terem deixado Sloviansk.

Agora, lamenta, não tem "ninguém com quem estar", está ao telefone "o dia todo", quando antes os dias eram passados a correr e a andar de bicicleta.

Com a Europa a poucas semanas do regresso às aulas, voltar à escola é uma realidade adiadada na Ucrânia.

De forma a poder dar início ao ano letivo, o governo ucraniano anunciou aulas online a partir de 1 de setembro.