EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Campanha eleitoral ao rubro no Brasil

Campanha eleitoral no Brasil ao rubro
Campanha eleitoral no Brasil ao rubro Direitos de autor AP Photo/Silvia Izquierdo
Direitos de autor AP Photo/Silvia Izquierdo
De  Bruno Sousa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Jair Bolsonaro provocado por youtuber, Lula da Silva diz que o rival é "desequilibrado mentalmente"

PUBLICIDADE

A campanha eleitoral no Brasil está ao rubro e se as provocações entre Jair Bolsonaro e Lula da Silva há muito são uma constante, esta quinta-feira entrou em cena outro provocador. Um youtuber que aproveitou um momento do Presidente com os apoiantes para fazer uma série de perguntas incómodas.

Bolsonaro não gostou mas resolveu a questão com uma conversa tranquila. Não se sabe se o influenciador, especializado em provocação política, gostou das respostas, mas o seu número de seguidores nas redes sociais explodiu.

Já Lula da Silva efetuou o primeiro comício de campanha em Belo Horizonte e voltou a desferir um forte ataque a Bolsonaro:

"Estamos enfrentando uma pessoa que é desequilibrada mentalmente, uma pessoa desestruturada do ponto de vista psicológico. Uma pessoa que acha que a polícia tem de matar, em vez de prender. Que tem de vender armas, e não livros. Que tem de estimular o ódio, e não o amor. É exatamente do que nós queremos."
Lula da Silva
Candidato do PT nas eleições brasileiras

De acordo com a última sondagem da Datafolha, Lula continua na frente com 47% das intenções de voto e pode sonhar com uma vitória na primeira volta, a 2 de outubro. Jair Bolsonaro subiu nas preferências dos brasileiros mas continua distante, não indo além dos 32%.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Cheias no Brasil deixam mais de 100 mortos e milhares de desalojados

Chuvas fortes no sul do Brasil fazem pelo menos 75 mortos e mais de 100 desaparecidos

Antigo chefe do exército brasileiro ameçou prender Bolsonaro se insistisse com golpe de Estado