Crianças ucranianas em campos de férias na Grécia

Crianças ucranianas em campos de férias na Grécia
Crianças ucranianas em campos de férias na Grécia Direitos de autor Euronews
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Crianças ucranianas em campos de férias na Grécia. Mais de 600 crianças de Bucha tentam recuperar a felicidade em Ática

PUBLICIDADE

Mais de 600 crianças ucranianas estão em campos de férias na Grécia, mais concretamente em Ática.

As crianças entre os 6 e os 15 anos de idade vêm da cidade de Bucha, amplamente conhecida pelo assassínio e abuso de civis ucranianos pelas Forças Armadas russas.

A iniciativa pertence à ''Αassociação de Donos de Campos Privados'' e foi abraçada pelo Ministério da Migração e Asilo.

Vinte e um acompanhantes viajaram com as crianças desde a Ucrânia..

"Estamos muito gratos à Grécia e aos nossos patrocinadores. Os nossos filhos não têm podido viver uma vida normal desde Fevereiro. Tudo era triste e difícil. Aqui, na Grécia, temos alegria, bom humor, o sol, a piscina, o ar, o mar. Estamos felizes e muito agradecidos," afirmou  a monitora ucraniana, Olga Trempoltseva.

Os funcionários do campo sabem que não podem apagar as memórias dolorosas da guerra. No entanto, esperam ser capazes de oferecer alguns dias de liberdade e paz.

A questão da língua é um dos desafios mais importantes, a maioria das crianças não fala inglês. Com a ajuda de tradutores, chegam a falar sobre os horrores da guerra.

"Algumas crianças lembram-se de momentos, imagens da guerra. Ficam emocionadas, chateadas, e algumas rebentam em lágrimas. Felizmente, isso dura pouco tempo. Rapidamente encontram a boa disposição e voltam às brincadeiras," explicou o monitor grego, Vasilis Dontos.

De acordo com o Ministério da Migração e Asilo grego, chegaram 76.000 refugiados ucranianos à Grécia. Apenas 20.000 solicitaram o regime de proteção (visto temporário e direito ao trabalho). Os restantes, ou regressaram à Ucrânia ou mudaram-se para outros países europeus. É, por isso, impossivel ser preciso sobre quantos refugiados se encontram atualmente no país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Crianças guineenses retiradas das ruas de Dacar

França repatria crianças e mães de campos de prisioneiros jihadistas

Ucrânia: dois anos de guerra