This content is not available in your region

Eleições legislativas suecas ainda em aberto com 95% dos votos contados

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Eleições legislativas na Suécia
Eleições legislativas na Suécia   -   Direitos de autor  Johan Nilsson/TT NEWS AGENCY

Na Suécia, o bloco liderado à partida pelo chefe do Partido Moderado, Ulf Kristersson, aproxima-se de uma maioria absoluta no parlamento, mas com uma surpresa. A liderança da direita muda-se para os Democratas Suecos, de extrema-direita.

De acordo com dados parciais, com 95% dos votos apurados, o bloco da direita conquistar a maioria absoluta de 175 cadeiras no parlamento, contra 174 do bloco de esquerdas, liderado pelo Partido mais votado, o Social-democrata, da atual primeira-ministra Magdalena Andersson

O grande vencedor das legislativas parece ser, ainda assim, o partido nacionalista anti-imigração. O Democratas da Suécia consegue 20,7% dos votos, um resultado que o torna no partido de direita mais votado e no segundo partido mais votado no país.

Jimmie Akesson, líder dos democratas suecos, mostrou-se feliz. "Agora somos realmente um grande partido. Estou tão orgulhoso e feliz pelo que fizemos juntos para o conseguir", afirmou.

Se os resultados se confirmarem, a esquerda pode deixar o poder depois de oito anos no governo. 

Mas os especialistas alertam para as tensões internas que terá de enfrentar um governo de direita, com um partido que tem raízes no neonazismo, e lembram que o líder do partido dos liberais já disse que "nunca deixará o Democratas da Suécia a liderar um governo".

Magdalena Andersson disse que a democracia sueca deve seguir o seu curso. Para a primeira-ministra e líder dos sociais-democratas é preciso ter em conta que "esta foi uma boa eleição, com bons resultados e com uma campanha fantástica".

Os resultados das eleições legislativas da Suécia devem ser conhecidos na quarta-feira.