This content is not available in your region

Empresas do Qatar esperam tirar partido do mundial de futebol para crescer à escala global

De  euronews
Empresas do Qatar esperam tirar partido do mundial de futebol para crescer à escala global
Direitos de autor  euronews

O Estado do Qatar, país anfitrião do campeonato mundial de futebol em 2022, gastou 220 mil milhões de dólares na construção de infraestruturas, incluindo estradas, transportes públicos, hotéis e instalações desportivas.

O país espera receber um milhão e meio de visitantes durante o Campeonato do Mundo de Futebol. Os jogos desenrolam-se em oito estádios. O evento deverá injetar 20 mil milhões de dólares na economia local. As autoridades esperam que as novas infraestruturas terão um um impacto positivo na economia, a longo prazo.

O impacto económico do mundial 2022 no Qatar

“Os últimos doze anos foram um período muito dinâmico para o desenvolvimento económico. A economia tirou partido da organização do campeonato do mundo. O megaplano de desenvolvimento iniciado em 2008 terá um impacto positivo ao longo dos próximos vinte anos”, garantiu Nasser Al Khater, presidente do Qatar 2022.

“Nunca vi um país anfitrião pronto com tanta antecedência. Todos os estádios estão acabados. As infraestruturas em termos de hotéis e estradas estão a ser concluídas. Ou seja, o Qatar está pronto. A FIFA está pronta, o mundo está pronto. E depois de tempos complicados devido à pandemia e outras coisas, temos de nos reunir novamente", afirmou o presidente da FIFA, Gianni Infantino.

O megaplano de desenvolvimento iniciado em 2008 terá um impacto positivo ao longo dos próximos 20 anos.
Nasser Al Khater, presidente do Qatar 2022

Primeiro campeonato mundial de futebol no Médio Oriente

O Qatar 2022 fica na história como o primeiro campeonato do mundo de futebol que terá lugar num país do Médio Oriente. O evento é visto como uma oportunidade única. "O Qatar tem uma oportunidade única para se inserir no mapa desportivo internacional e no mapa económico e comercial internacional. O campeonato do mundo é apenas uma pequena parte de um esforço maior. Estou pessoalmente confiante que as pessoas vão ver um país que se está a desenvolver rapidamente para se tornar numa capital global para o desenvolvimento sustentável. As empresas que querem mudar o mundo irão ver que este país é o melhor sítio para fazê-lo", sublinhou Sheikha Alanoud Al Thani, vice-presidente do Centro Financeiro do Qatar.

O Qatar tem uma oportunidade única para se inserir no mapa desportivo internacional e no mapa económico e comercial internacional.
Sheikha Alanoud Al Thani, vice-presidente do Centro Financeiro do Qatar

Empresas esperam tirar partido do evento

Uma empresa sediada no Qatar especializada em tecnologias imersivas e anúncios virtuais espera tirar partido do evento para angariar clientes no mundo inteiro. 

A empresa concebeu uma tecnologia de replay imersiva que está a ser usada em grandes competições de futebol como a Taça Árabe da FIFA, a Premier League e por televisões como a Sky Sports.

“A particularidade da nossa solução é o facto de usarmos apenas as imagens da difusão em direto nos nossos servidores, na nuvem. Enviamos uma, cinco ou dez retransmissões diferentes para a estação emissora, na ordem correta, em menos de dois segundos”, disse à euronews Mohammad Ali Abbaspour, diretor e fundador da Sponixtech.

A empresa está de olhos postos noutras grandes ligas desportivas, incluindo torneios de ténis e a NBA.