This content is not available in your region

Identificação dos corpos encontrados após a libertação de Izium

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Descoberta e identificação de centenas de corpos na cidade de Izyum recentemente libertada, na Ucrânia
Descoberta e identificação de centenas de corpos na cidade de Izyum recentemente libertada, na Ucrânia   -   Direitos de autor  AP Photo/Evgeniy Maloletka

Na cidade Izium, recentemente libertada pelas forças ucranianas, continua a identificação dos corpos encontrados em valas comuns.

Já foram encontradas 445 sepulturas, mas poderá haver mais. Este massacre está a ser comparado com o descoberto em Buxa após a retirada do exército russo.

Segundo o governador da região de Kharkiv, a maioria dos corpos mostra sinais de tortura.

O presidente, Volodymyr Zelenskyy confirma: "O trabalho de exumação continuou hoje em Izium, na região de Kharkiv, no local onde o enterro em massa foi descoberto. Os exames dos corpos estão a ser realizados. Foram encontradas novas provas da tortura utilizada contra as pessoas ali enterradas. Já foram encontradas mais de 10 câmaras de tortura em várias cidades e vilas libertadas na região de Kharkiv".

A presidência checa da UE, sugeriu a criação de um tribunal especial para julgar os crimes de guerra cometidos na Ucrânia.

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Chéquia, Jan Lipavsky, escreveu no Twitter: 

Após Izium, a captura de Kupiansk é agora essencial para completar o corte de abastecimento das tropas russas naquela frente. Várias fontes afirmam que a Ucrânia já tomou a cidade, mas no terreno há mais cautela.

Um voluntário, de nome de guerra "Bronik", afirma: "Ainda é muito cedo para falar sobre a libertação total de Kupiansk. Porque esse lado [lado oriental da cidade] foi alegadamente libertado, mas os nossos soldados retiraram-se de lá porque, tanto quanto sei, para manter esse lado precisamos de equipamento militar pesado".

Os ataques da artilharia russa terão matado dois civis em localidades da região de Donetsk, e Kharkiv.

As autoridades nomeadas pela Rússia acusam a Ucrânia de ter efetuado um ataque no centro de Donetsk, no qual morreram quatro pessoas e três ficaram feridas.