Presidente da Namíbia: "acredito fortemente na limitação dos mandatos"

Hage Geingob, presidente da Namíbia
Hage Geingob, presidente da Namíbia Direitos de autor Euronews
De  João Peseiro MonteiroM'Zée Fula Ngenge
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

De visita a Luanda para a investidura do homólogo angolano, o chefe de Estado da Namíbia, Hage Geingob, afirmou, num exclusivo à Euronews, ser um defensor da limitação de mandatos e da eleição direta do presidente. Recordou também José Eduardo dos Santos, apoiante da independência do seu país.

PUBLICIDADE

Representante da última vaga de dirigentes africanos, o presidente da Namíbia, Hage Geingob, esteve em Luanda para a tomada de posse de João Lourenço e partilhou com a Euronews a sua visão da política africana atual:

"Temos três vagas de líderes africanos.

A primeira vaga foi a dessas personalidades extraordinárias que nos disse para pegarmos nas armas e lutar, como o Sékou Touré, o Agostinho Neto e outros.

A segunda vaga foi apanhada na... digamos, confusão da Guerra Fria.

Agora, como digo, a terceira vaga de dirigentes africanos está a afirmar a via constitucional.

Acreditamos na limitação dos mandatos
Hage Geingob
Presidente da Namíbia

Claro que há quem faça marcha-atrás, que há quem queira mudar a constituição para permanecer no poder.

 Mas, geralmente, o povo quer eleições, eleições democráticas. Em todo o lado. Mas ninguém é perfeito, basta olhar para a América.

Eu acredito fortemente na limitação dos mandatos presidenciais, porque se for eleito diretamente pelo povo, não tem verdadeiramente a quem prestar contas mas se for eleito pelo parlamento... bem, não é o que defendo mas é o que muitos estão a fazer."

Durante a estada no país vizinho, Hage Geingob não esqueceu quem apoiou a Namíbia durante a luta pela independência.

"Quando o presidente Neto morreu, José Eduardo dos Santos assumiu o poder. A nossa luta armada foi possível porque tínhamos a nossa base de retaguarda aqui em Angola.

José Eduardo dos Santos foi o presidente que nos apoiou
Hage Geingob
Presidente da Namíbia

Éramos mesmo bons camaradas. Eu conhecia-o pessoalmente. Ele não costumava viajar mas foi à Namíbia para a minha tomada de posse. Éramos muito próximos. Agora, quando foi o funeral, não pude viajar e pensei: tenho de ir e prestar-lhe uma última homenagem."

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Bem-estar social e apelo à Rússia lançam novo mandato de João Lourenço

Cerimónias fúnebres de José Eduardo dos Santos

Líder da oposição celebra vitória nas legislativas na Guiné-Bissau