EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Bósnia-Herzegovina: Oposição pode recontagem dos votos

Jelena Trivić, candidato às eleições na República Srpska
Jelena Trivić, candidato às eleições na República Srpska Direitos de autor Radivoje Pavicic/Copyright 2022 The Associated Press
Direitos de autor Radivoje Pavicic/Copyright 2022 The Associated Press
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Na República Sprszka, entidade sérvia na Bósnia, a oposição continua a reclamar vitória e exige a recontagem dos votos.

PUBLICIDADE

O partido da oposição na Republika Srpska, a entidade sérvia na Bósnia, fala em fraude eleitoral nas eleições gerais de domingo. A candidata do Partido do Progresso Democrático, Jelena Trivić, continua a acreditar que não perdeu o escrutínio e quer uma recontagem dos votos.

"Vamos reclamar uma nova organização do processo eleitoral em toda a Republika Srpska. Este é o nosso objetivo final. Para o conseguirmos teremos de pedir uma recontagem dos votos em muitas mesas de voto".
Jelena Trivić
Candidata do Partido do Progresso Democrático

Trivic e Milorad Dodik, o atual líder político bósnio-sérvio, tinham declarado ambos, no domingo, vitória nestas eleições. Mas dados preliminares, anunciados pela Comissão Nacional de Eleições, apontam o político pró-russo como vencedor com 49 por cento dos votos contra 42 da sua adversária. A contagem não estava ainda fechada.

Um dos correspondentes da euronews em Sarajevo explicava que há mudanças no panorama político adminstrativo no país. "Espera-se que os líderes moderados, bósnio e croata, entrem para a presidência bósnia de três membros, enquanto uma aliada próxima do líder bósnio-sérvio pró-russo, Milorad Dodik, se tornará, provavelmente, no primeiro membro feminino da presidência", referia Stefan Goranović.

Mas, e apesar do sucesso da oposição neste escrutínio, o referido jornalista acrescentava que "muitos analistas acreditam que os partidos nacionalistas continuarão a ser dominantes nos parlamentos nacionais e regionais do país".

As irregularidades eleitorais, relatadas, e o facto de algumas pessoas terem sido detidas por fraude eleitoral, não altera a perceção de "dirigentes, e alguns observadores", de "que a votação decorreu um pouco melhor do que nas eleições anteriores, na Bósnia", frisava Goranović. 

Ao mesmo tempo, a Bósnia-Herzegovina atravessa a pior crise política desde que terminou a guerra, em 1995. Crise impulsionada por "políticas separatistas da liderança sérvia e ameaças de bloqueios por parte de partidos políticos representativos dos croatas bósnios", concluia Stefan Goranović.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Protestos em Sarajevo contra fraude eleitoral

Eleições em clima de crise e divisões étnicas na Bósnia-Herzegovina

O potencial efeito dominó do conflito na Ucrânia nos Balcãs Ocidentais