EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Investigação deteta "explosões graves" nos gasodutos Nord Stream 1 e 2

Image de uma das ruturas, captada pela equipa de peritos internacionais
Image de uma das ruturas, captada pela equipa de peritos internacionais Direitos de autor EXPRESSEN
Direitos de autor EXPRESSEN
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Pelo menos 50 metros da conduta destruídos com explosões. Polícia dinamarquesa fala em mão criminosa mas não aponta ainda culpados

PUBLICIDADE

Investigação confirma "explosões poderosas" nos gasodutos Nord Stream 1 e 2, no Mar Báltico. A peritagem feita pelas autoridades dinamarquesa e norueguesas detectou "danos extensos" nas duas estruturas. Pelo menos 50 metros do gasoduto ficaram destruídos. A Polícia de Copenhaga falam em crime, mas ainda não aponta o culpado.

Moscovo condena o Ocidente por ter excluído a Rússia da investigação. "Só se pode lamentar que todo o processo de investigação esteja a decorrer à porta fechada sem autorização para participarmos, sem interação com o lado russo, que é um co-proprietário. Não temos a oportunidade de trabalhar no local para conduzir a nossa própria investigação. E o mais importante, de acordo com as declarações que ouvimos da Alemanha, França, Dinamarca, esta investigação é a priori ajustada para colocar a responsabilidade sobre a Rússia," declarou esta terça-feira Dmitry Peskov, porta-voz do Kremlin.

As quatro fugas ocorreram em águas internacionais, mas dentro da zona económica exclusiva da Dinamarca e da Suécia.

A agência sueca de segurança interna já veio dizer que as provas apontam para uma "sabotagem grave".

Os gasodutos que ligam a Rússia à Alemanha estava suspenso no momento em que foram detectadas as fugas, a 26 de setembro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Sabotagem dos Nord Stream: Grupo pró-ucraniano na mira de investigação

Líder do Malawi pede investigação independente à morte do vice-presidente em acidente de aviação

Stoltenberg diz que 23 países da NATO vão atingir limite mínimo de despesa militar