EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Brasil escolhe entre Lula e Bolsonaro

Os candidatos presidenciais: Jair Bolsonaro e Lula da Silva
Os candidatos presidenciais: Jair Bolsonaro e Lula da Silva Direitos de autor MAURO PIMENTEL/AFP or licensors
Direitos de autor MAURO PIMENTEL/AFP or licensors
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Lula da Silva ou Jair Bolsonaro. Profundamente dividido, Brasil escolhe este domingo o futuro presidente

PUBLICIDADE

Estão já abertas as urnas no Brasil para a segunda volta das eleições presidenciais entre Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro.

Mais de 156 milhões de eleitores brasileiros são chamados a escolher entre manter o Governo de extrema-direita no poder ou virar à esquerda e dar a vitória ao candidato do Partido dos Trabalhadores.

A sociedade brasileira encontra-se profundamente dividida e as sondagens que surgiram, nos últimos dias, demonstram isso mesmo.

Embora o antigo presidente Lula da Silva pareça manter a preferência da maioria dos eleitores, a diferença para Jair Bolsonaro é bastante curta, estando por isso em aberto todos os cenários.

Os brasileiros votam por voto eletrónico. As urnas encerram às 17 horas de Brasília, altura em que os votos começam a ser apurados.

No entanto, cresce na sociedade brasileira e internacional o receio de que Bolsonaro não aceite os resultados, caso seja hoje derrotado.

Teme-se que o Brasil seja palco de uma ação semelhante à que se viu no Capitólio dos Estados Unidos da América, em janeiro de 2021, quando fanáticos, comandados pelo antigo presidente norte-americano, Donald Trump, tentaram impedir a ratificação da vitória de Joe Biden.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Apoiantes de Bolsonaro apelam a um futuro sem corrupção

Brasil: foram chamados para salvar crianças, mas acabaram numa operação de "salvamento" de armas

Cheias no Brasil deixam mais de 100 mortos e milhares de desalojados