EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

“O clima não pode esperar”. Macron apela ao respeito dos compromissos climáticos na COP27

Emmanuel Macron, presidente de França, durante a COP27
Emmanuel Macron, presidente de França, durante a COP27 Direitos de autor Ludovic Marin/AP
Direitos de autor Ludovic Marin/AP
De  Gregoire LoryEuronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente francês defendeu que clima continua a ser uma prioridade, mesmo perante uma crise energética e alimentar gerada pela guerra na Ucrânia.

PUBLICIDADE

"O clima não pode esperar" e Emmanuel Macron quis deixar clara a urgência logo no início da COP27. O presidente francês falou esta segunda-feira, na cimeira do clima, a decorrer no Egito, onde alertou para a importância de travar as alterações climáticas, numa altura em que o mundo faz contas ao impacto da guerra na Ucrânia e teme os efeitos da crise energética e alimentar.,

"Não sacrificaremos os nossos compromissos climáticos sob a ameaça energética da Rússia. E, por conseguinte, todos os compromissos assumidos pelos países devem continuar. Para os países mais ricos, especialmente os países europeus, incluindo França, esta tem sido a base das nossas estratégias nacionais, de acordo com os nossos compromissos", disse o chefe de Estado francês.

A organização de defesa ambiental WWF saúda o compromisso político, sobretudo no atual contexto político e climático.

Stephen Cornelius, conselheiro-chefe para as alterações climáticas da WWF, faz questão de salientar que "as alterações climáticas são o maior problema que enfrentamos neste momento. Há muitas crises a acontecer, crise da biodiversidade, crise da energia e da alimentação, mas as alterações climáticas estão na base de tudo e, nalguns casos, em primeiro plano. Vemos catástrofes generalizadas devido às alterações climáticas, e é realmente importante ter os líderes mundiais a marcar presença".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Macron aceita demissão do primeiro-ministro Gabriel Attal

Em Washington, Macron sossega aliados sobre futuro da política francesa

Legislativas antecipadas mergulham França na incerteza política sem primeiro-ministro no horizonte