This content is not available in your region

Lugares do Qatar que são uma ponte entre o passado e o futuro

De  Euronews
Lugares do Qatar que são uma ponte entre o passado e o futuro
Direitos de autor  euronews   -  

Tem sido chamado o "segredo mais bem guardado do mundo", mas agora o segredo foi revelado. O primeiro Campeonato do Mundo a ser organizado no Médio Oriente começa no domingo, 20 de Novembro, e o Qatar estará à frente e no centro do palco mundial.

Os adeptos de futebol que viajam para o país para apoiar as suas seleções nacionais poderão passar o seu tempo livre a descobrir que o Qatar tem muito mais para oferecer aos visitantes de todo o mundo do que um grande torneio internacional de futebol.

Mas um item que une todos os adeptos e turistas internacionais ao longo do Campeonato Mundial da FIFA é o Cartão Hayya digital. "Hayya" significa "vir", o cartão funciona como uma licença de entrada no país e um passe de entrada nos estádios, bem como proporciona viagens gratuitas em transportes públicos.

Ahmed Al-Binali é o diretor de Operações de Mobilidade no Comité Supremo de Entrega e Legado:"O transporte gratuito é um aspeto muito importante do cartão, com ele é possível aceder gratuitamente ao metro, autocarros e todos os transportes públicos. Um segundo aspeto importante é o planeador de viagens. Encorajaríamos todos a utilizar o Hayya Card Journey Planner para planear a sua viagem. O cartão fornecer-lhe-á as últimas notificações em termos de transportes públicos, bem como a pré-reserva e reserva do seu táxi", explica.

Do Souq aos museus

Nenhuma visita a Doha está completa sem um passeio pelo icónico Souq Waqif. O movimentado mercado é onde turistas e habitantes locais se reúnem para obter desde especiarias a lembranças.

Dê um passeio por qualquer passagem sinuosa e certamente verá algo que chama a sua atenção. E assim que tiver visto o Souq, que o transporta para o passado, avançamos o futuro - para o menos conhecido, mas igualmente impressionante, Msheireb - mesmo do outro lado da rua.

Aclamada como um dos primeiros projetos de regeneração sustentável do centro da cidade no mundo, a arquitectura de Msheireb mistura modernidade e cultura, com uma mistura do passado, presente e futuro, para trazer nova vida ao antigo distrito comercial de Doha.

Ainda olhando para o futuro, visitamos a joia da coroa dos muitos museus do Qatar. O recém-renovado Museu de Arte Islâmica reabriu recentemente, após uma grande remodelação.

Quando abriu pela primeira vez as suas portas à beira da Corniche de Doha, em 2008, pretendia-se que fosse um momento de transformação para o país como destino cultural global. Avançando 15 anos, o próximo capítulo do museu reimaginado apresenta 18 galerias que exploram a arte, história e cultura islâmicas.

Julia Gonnella é a diretora do museu:"O Museu de Arte Islâmica em si é uma grande atracção turística. A sua incrível arquitetura foi construída pelo arquiteto premiado com o Prémio Pritzker I.M. Pei. É uma das joias arquitetónicas mais espantosas de toda a região. A coleção de Arte Islâmica no MIA, neste museu, é notável, é realmente de classe mundial. Se quer explorar a Arte Islâmica, este é o lugar".

Do outro lado da rua do Museu de Arte Islâmica está o igualmente impressionante Museu Nacional do Qatar, concebido por Jean Nouvel. Antes da descoberta de petróleo e gás aqui, o Qatar era principalmente uma comunidade de pescadores de pérolas.

Espalhada por 40.000 metros quadrados, a história do Qatar é explicada, particularmente a evolução do país desde o seu humilde início até se tornar um centro cultural próspero. O design do arquiteto francês foi inspirado pelas formações de cristal comummente encontradas e que ocorrem naturalmente, conhecidas como "rosas do deserto". A experiência imersiva leva os visitantes numa viagem visual através da história do país, desde a era pré-histórica até aos dias de hoje.

Explica Tania Al Majid, diretora-adjunta dos Assuntos Curatoriais no Museu Nacional do Qatar: "Antes da descoberta de petróleo em 1939, o povo do Qatar dependia do movimento e da migração sazonal. Assim, durante os meses de verão, eles estariam na costa durante a época das pérolas e depois, durante os meses de inverno, deslocar-se-iam para o interior do deserto em busca de pasto para os animais e em busca de recursos hídricos".

De Katara a Lusail

A Aldeia Cultural Katara é onde artistas, académicos e adeptos de futebol se encontram.

À semelhança do Souq Waqif, dê um passeio por qualquer uma destas passagens sinuosas e acabará por chegar ao centro criativo do país. Quer sejam os Estúdios Katara, que produziram a banda sonora para o Campeonato Mundial de Futebol deste ano, para a Ópera ou para o anfiteatro à beira-mar, palco de numerosos concertos e festivais.

Malika M. Al Shraim, diretora do Departamento de Novos Meios de Comunicação na Aldeia Cultural Katara conta-nos: "A visão de Katara é criar um centro cultural, importar outras culturas, e exportar a nossa cultura e património para outros através dos festivais que planeamos, fazemos, ou recebemos dentro de Katara em colaboração com diferentes embaixadas que vivem no Qatar".

Em seguida, dirigimo-nos a Lusail, a cidade do futuro do Qatar

Berthold Trenkel é o CEO do Turismo do Qatar: "Lusail é uma nova cidade. Onde estamos, há 10 anos era, provavelmente, apenas rochas e areia e nada existia. Temos o novíssimo Place Vendôme, um centro comercial de luxo e provavelmente um dos lugares mais interessantes. Depois temos, é claro, o Lusail Boulevard. Assim, as pessoas vão ouvir muito mais sobre Lusail. Depois do Campeonato do Mundo, Lusail será um nome familiar", diz.

Este pode muito bem ser o caso, uma vez que a final do Campeonato do Mundo será disputada lá. Na verdade, o que torna Lusail tão única é que é uma cidade criada tendo em mente o Campeonato do Mundo. Desde o design, passando pelo layout até à execução, com um metro e um elétrico para transportar os adeptos de futebol, e, claro, o Estádio Lusail que acolherá o jogo final.

A cidade está há quase 20 anos em construção. Construída utilizando a mais recente tecnologia de ponta, e tendo a sustentabilidade e a conectividade como pedras angulares, Lusail pretende ser o mais ambicioso novo desenvolvimento no Qatar.

Esmat Zaidan é professora de Política Pública na Universidade Hamad Bin Khalifa: "O nome Lusail deriva de uma flor rara, que é indígena da região, e diz-se que é um verdadeiro símbolo da etnia do lugar. O fundador do Qatar moderno, Sheikh Jassim bin Mohammed al Thani, nasceu em Lusail, viveu em Lusail e também construiu o castelo que nessa altura era o centro da governação. Um século mais tarde, o governo do Qatar começou a fazer planos para desenvolver Lusail e transformá-la numa cidade hipermoderna".

Para além de refletir formas e arquitetura tradicionais, Lusail foi concebida para ser amiga dos peões. O sistema de transporte na cidade varia de metro e carro a opções mais únicas, como o riquexó.

Desde 2005, o promotor imobiliário Qatari Diar está encarregado da construção.

Khalid Alhammadi é o diretor de Gestão de Ativos: "Certificamo-nos de que esta cidade atuará como uma cidade inteligente". Muitas iniciativas têm sido tomadas para trabalhar, para abordar este objetivo. Uma delas, particularmente, é o metro de superfície, o elétrico de Lusail, que minimiza a circulação de carros e estimula as pessoas a circularem utilizando este sistema", conta.

O elétrico, o metro e os parques de estacionamento da cidade são controlados a partir de um ponto central. 

Waleed Alsaadi é o diretor do departamento de Infraestruturas, Instalações e Paisagismo do Centro de Comando e Controlo de Lusail: "O Centro de Comando e Controlo de Lusail (LCCC) é considerado o centro de inteligência que opera a cidade inteira. É utilizado com a tecnologia avançada para operar, monitorizar e gerir a infraestrutura da cidade", explica.

A sustentabilidade é uma característica-chave da cidade. Para além de controlar a rede de telecomunicações e de segurança, é o LCCC que controla as infraestruturas da cidade, tais como tratamento de resíduos, gás e sistemas de arrefecimento.

Diz Esmat Zaidan:  "Lusail foi construída para cumprir a sustentabilidade, ambição e objetivos do país. E também para proporcionar ao Qatar um novo modelo de cidade para o mundo inteiro".

Lusail estende-se por uma área de 38 quilómetros quadrados. O Boulevard é o coração urbano da cidade e serve como o principal centro comercial, alimentar e retalhista da Lusail. A sua conceção inspira-se na artéria mais famosa de Paris, os Campos Elísios.

À medida que a noite cai, Lusail tem muitas atividades para manter os visitantes entretidos. Desde um espectáculo de drones, à música ao vivo e às zonas de fãs que estarão no local durante todo o Qatar 2022, assegurando que cumpre a sua promessa de design como cidade do Campeonato do Mundo.

O Campeonato do Mundo oferece a oportunidade de ver mais do que apenas os jogos. Quer seja a melhor arte, cultura, ou locais que o Qatar tem para oferecer.