This content is not available in your region

França dá primeiro passo para consagrar direito ao aborto na Constituição

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com LUSA
Assembleia nacional francesa
Assembleia nacional francesa   -   Direitos de autor  Christophe Ena/Copyright 2022 The AP. All rights reserved

Uma larga maioria do parlamento francês manifestou-se, esta quinta-feira, favorável à consagração do direito ao aborto na Constituição

A iniciativa, proposta pela esquerda da França Insubmissa (LFI) e acordada com o partido Renascimento (liberal), do Presidente da República, Emmanuel Macron, recebeu o voto a favor de 337 deputados e o voto contra de 32.

A presidente do grupo parlamentar de extrema-direita da União Nacional (RN), Marine Le Pen, esteve ausente do hemiciclo “por razões médicas” e não participou na votação.

Para que o direito ao aborto passe a estar previsto na Constituição francesa, o caminho é, contudo, ainda longo: é necessária a sua aprovação pelo Senado (câmara alta do parlamento francês), nos mesmos termos em que foi aprovado na câmara baixa, e depois o Congresso, que é a reunião extraordinária de deputados e senadores, deve aprová-lo por maioria de três quintos.