EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Ucranianos fogem de Kherson devido a constantes bombardeamentos russos

Destruição em Kherson, no sul da Ucrânia.
Destruição em Kherson, no sul da Ucrânia. Direitos de autor Bernat Armangue/Copyright 2022 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Bernat Armangue/Copyright 2022 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Dezenas de cidadãos tiveram de deixar Kherson, no sul da Ucrânia, devido a constantes bombardeamentos russos. Os militares de Moscovo querem reconquistar a cidade.

PUBLICIDADE

Filas sem fim à vista... Dezenas de ucranianos tiveram deixar a cidade de Kherson, no sul da Ucrânia, este sábado, devido aos constantes bombardeamentos russos. Os militares de Moscovo intensificaram os ataques, nos últimos dias, para tentar reconquistar a cidade, cerca de duas semanas após terem partido.

Sergey Semeyko, residente desta cidade, foi entrevistado enquanto fugia da cidade e disse que "têm de ir embora, que não existe outra forma, acrescentando que três ou quatro dias depois dos russos terem deixado Kherson, começaram os intensos bombardeamentos".

Os russos estão a bombardear tudo
Sergey Semeyko
Residente de Kherson

O cidadão acrescentou que "muitas pessoas foram mortas, outras ficaram feridas e que os russos estão a bombardear tudo, incluindo o centro da cidade e as casas".

AP Photo
Residente de Kherson é obrigado a abandonar a cidade.AP Photo

De acordo com o chefe da polícia local, Ihor Klymenko, pelo menos 32 pessoas foram mortas na região de Kherson, desde a retirada das tropas russas.

As autoridades continuam a trabalhar para restaurar o acesso dos moradores à água e aquecimento, mas a eletricidade já foi, entretanto, restabelecida, de acordo com um assessor presidencial.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Cidade de Kherson debaixo de fogo russo

Hospitais de Kherson lutam para continuar a funcionar sem eletricidade

Rússia poderá estar de saída da Central Nuclear de Zaporíjia