EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Sergei Lavrov acusa NATO e EUA de envolvimento na guerra da Ucrânia

Sergei Lavrov, ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia
Sergei Lavrov, ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia Direitos de autor AP/Russian Foreign Ministry Press Service
Direitos de autor AP/Russian Foreign Ministry Press Service
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O MNE da Rússia justifica ataques a infraestruturas civis com fornecimento de armas a Kiev e acusa NATO e EUA de envolvimento na guerra da Ucrânia

PUBLICIDADE

A Rússia justifica os ataques às infraestruturas civis da Ucrânia com o fornecimento de armas pela NATO e Estados Unidos a Kiev e o treino de soldados ucranianos.

Em resposta a uma pergunta de um jornalista da Associated Press (AP), o ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Sergei Lavrov, disse: "Desativamos instalações energéticas [na Ucrânia] que lhes permitem [ao Ocidente] a vocês encher a Ucrânia de armas mortíferas para matar russos, por isso não diga que os Estados Unidos e a NATO não estão envolvidos nesta guerra. Vocês estão diretamente envolvidos, não só no fornecimento de armas, mas também no treino de pessoal militar".

Na quarta-feira, os países membros da NATO reiteraram o apoio à Ucrânia e o comprometimento de fornecer armas de alta tecnologia, incluindo sistemas avançados de defesa aérea.

O fornecimento do equipamento militar pelo ocidente tem invertido o curso da guerra nos últimos meses.

Depois de ter sido obrigada a abandonar a cidade de Kherson, a Rússia intensificou os ataques a infraestruturas de eletricidade e água da Ucrânia, matando dezenas de civis e deixando milhões aos rigores do inverno, sem luz e aquecimento.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Brasil contra sanções impostas à Rússia. Lavrov saúda "visão única" dos dois países

Frenesim diplomático em Nova Deli sem resultados à vista

Cáritas polaca lança campanha para ajudar famílias ucranianas