EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Vice-presidente do Parlamento Europeu detida por corrupção com o Qatar

Eva Kailim, vice-presidente do Parlamento Europeu
Eva Kailim, vice-presidente do Parlamento Europeu Direitos de autor Petros Giannakouris/AP2011
Direitos de autor Petros Giannakouris/AP2011
De  Euronews com Agências
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Eurodeputada grega Eva Kaili está entre os cinco detidos, em Bruxelas, por suspeitas de corrupção, Caso está relacionado com práticas de lóbi ilegal do país anfitrião do Campeonato Mundial de Futebol

PUBLICIDADE

Cinco pessoas foram detidas, esta sexta-feira, na Bélgica, por suspeitas de envolvimento num caso de lóbi ilegal com o Qatar, país anfitrião do atual Campeonato do Mundo de Futebol. Entre os detidos está a vice-presidente do Parlamento Europeu (PE) Eva Kaili.

Discurso de Eva Kaili no Parlamento Europeu sobre os direitos humanos no Qatar

No âmbito da investigação, a polícia belga realizou 16 buscas domiciliárias edeteve ainda mais quatro homens, todos italianos.

Entre os suspeitos detidos encontram-se o secretário-geral da Confederação Internacional dos Sindicatos, Luca Visentini, o ex-eurodeputado dos Socialistas e Democratas Pier-Antonio Panzeri (no cargo entre 2004 e 2019), um dirigente de uma ONG e o companheiro de Kaili, Francesco Giorgi, que é assistente parlamentar, também ele ligado ao grupo dos Socialistas e Democratas no PE.

De acordo com o porta-voz do Ministério Público Federal, Eric Van Duyse, a investigação deste caso dura "há alguns meses". Em causa estão indícios de "corrupção, branqueamento de capitais e organização criminosa" que alegadamente levaram o "país do Golfo Pérsico" a subornar os suspeitos para "tentar alterar as decisões políticas ou económicas do Parlamento Europeu".

Os procuradores belgas revelam que das buscas resultaram ainda a recuperação de "cerca de 600 mil euros em dinheiro", além da apreensão de "equipamento informático e telemóveis", que "serão analisados como parte das investigações".

Consequências políticas e limpeza de imagem

Na sequência das detenções, o grupo parlamentar europeu dos Socialistas e Democratas anunciou a suspensão imediata da eurodeputada grega, pelo menos enquanto as investigações estiverem em curso.

O PASOK, partido socialista grego, onde Kaili estava filiada, foi mais longe e determinou já a expulsão da política.  

Ainda recentemente a eurodeputada tinha afirmado que o Qatar era um "pioneiro dos direitos dos trabalhadores" após reunir com um ministro do país. 

Os alegados subornos do Qatar fariam parte de operação de limpeza de imagem do país, onde milhares de migrantes terão morrido na construção dos estádios para o Campeonato Mundial de Futebol deste ano.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Vice-presidente do Parlamento Europeu Eva Kaili em prisão preventiva na Bélgica

Renew Europe pode sofrer uma perda brutal de deputados nas eleições europeias

"Casa dos Horrores" de Marc Dutroux dá lugar a um jardim memorial