ONG contra decreto italiano sobre migração

Migrantes resgatados pelo Ocean Viking em outubro no Mediterrâneo
Migrantes resgatados pelo Ocean Viking em outubro no Mediterrâneo Direitos de autor VINCENZO CIRCOSTA/AFP or licensors
De  Patricia Tavares
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Norma exige que navios façam um salvamento de cada vez

PUBLICIDADE

O novo decreto italiano sobre fluxos migratórios exige que os navios das ONG efetuem apenas um salvamento de cada vez. O comandante do navio é também obrigado a recolher os dados pessoais dos migrantes e quaisquer pedidos de asilo diretamente a bordo.

Para a advogada Nazzarena Zorzella, trata-se de uma condição impraticável, porque contradiz a diretiva europeia de 2013 sobre proteção internacional. E este não seria o único direito internacional violado pelo decreto. 

O responsável pelas operações de salvamento da organização Médicos Sem Fronteiras, Juan Matías Gil, considera que o capitão de um navio deve salvar toda a gente - pois é um dever legal e humanitário.

Os Médicos Sem Fronteiras e as outras ONGs continuarão a lutar contra o decreto, apelando, se necessário, também ao Presidente da República de Itália.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Requerentes de asilo aguardam nas ruas para fazer registo na Bélgica

UE como fortaleza contra migrantes em debate na cimeira

Ceticismo sobre resultado do debate sobre migração na cimeira da UE