EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Rússia diz que ocidente "proibiu" Zelenskyy de chegar a acordo de paz em março

Chefe da Diplomacia russa, Sergey Lavrov
Chefe da Diplomacia russa, Sergey Lavrov Direitos de autor Alexander Zemlianichenko/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Alexander Zemlianichenko/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Nara Madeira com AFP, AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Sergey Lavrov, o chefe da Diplomacia russa, deu como exemplo "uma declaração simples e honesta" do presidente croata sobre uma alegada "guerra da NATO contra a Rússia"

PUBLICIDADE

O ministro dos negócios estrangeiros da Rússia atacou o apoio do Ocidente a Kiev numa conferência de imprensa, em Moscovo.

 Sergey Lavrov afirmou que a Rússia foi "forçada" a invadir a Ucrânia devido àquilo a que chamou de "guerra híbrida" do Ocidente contra a Rússia.

"O que está a acontecer agora na Ucrânia é o resultado de muitos anos de preparação pelos Estados Unidos e dos seus aliados para iniciar uma guerra híbrida global contra a federação russa".
Sergey Lavrov
Ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia

Lavrov acrescentava que "ninguém esconde isto", acrescentando que, "recentemente", o Presidente croata, Zoran Milanović, afirmou que se trata de "uma guerra da NATO contra a Rússia", o que o chefe da Diplomacia russa considerava "uma declaração simples e honesta".

O governante parecia também descartar conversações de paz, dizendo que o Ocidente impediu Kiev de negociar.

"O Ocidente decide em nome da Ucrânia. Foram eles que proibiram Zelenskyy de chegar a um acordo com a Rússia, no final de março do ano passado, quando tal acordo estava pronto. Por isso, o Ocidente decide, e decide pela Ucrânia, sem a Ucrânia".
Sergey Lavrov
Ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia

Discurso defendido, há muito tempo, pelo presidente russo, Vladimir Putin. O crescente apoio do Ocidente à Ucrânia está a resultar numa retórica do Kremlin cada vez mais dura. A invasão russa da Ucrânia, e de acordo com as Nações Unidas, já matou mais de 7000 civis, os EUA falam em 40 mil.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Cimeira do G20 termina sem acordo

Kremlin desmente Boris Johnson

Moscovo e países bálticos em guerra diplomática