Primeiro grande incêndio florestal na Península Ibérica já arde há quatro dias

Incêndio de Villanueva de Viver mantém-se ativo há quatro dias
Incêndio de Villanueva de Viver mantém-se ativo há quatro dias Direitos de autor Lorena Sopena/Europa Press via AP
Direitos de autor Lorena Sopena/Europa Press via AP
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Incêndio deflagrou na quinta-feira perto de Villanueva de Viver, no leste de Espanha, e há forte suspeita de mão humana na origem

PUBLICIDADE

Continua a lavrar em Espanha o primeiro grande incêndio do ano na Península Ibérica. As chamas deflagraram na quinta-feira perto de Villanueva de Viver, na província valenciana de Castelló, já consumiu quatro mil hectares e há forte suspeita de ter tido origem numa ação humana.

Pelo menos quatro pessoas já terão sido interrogadas, informou Pilar Bernabé, delegada do Governo na Comunidade Valenciana.

Diversas localidades tiveram de ser evacuadas, afetando quase 800 pessoas, e o combate ao fogo manteve-se intenso na última noite, envolvendo mais de meio milhar de efetivos e 50 camiões, que conseguiram estabilizar nos 35 quilómetros o perímetro do incêndio e puderam concentrar-se na frente norte, em Los Cantos, a que mais preocupa de momento.

Para este domingo e com condições climatéricas que o permitam, está prevista a mobilização de 16 meios aéreos, num dia em que se mantém ativo em toda a comunidade autónoma o nível 3 para perigo extremo de incêndios.

Com temperaturas previstas acima dos 25 graus centígrados e vento a soprar entre os 50 e os 60 km/hora, receia-se a eventual propagação descontrolada das chamas ou novos reacendimentos em Castelló.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Um arquiteto juntou-se a 17 famílias e nasceu a primeira cooperativa de habitação em Madrid

Só em janeiro, Canárias receberam mais migrantes do que na primeira metade de 2023

Vinícius Júnior, jogador do Real Madrid, não conseguiu conter as lágrimas ao falar de racismo