Autoridades investigam ataque com bomba que matou bloguista militar

Polícia em frente ao café onde Vladlen Tatarsky foi morto
Polícia em frente ao café onde Vladlen Tatarsky foi morto Direitos de autor OLGA MALTSEVA/AFP or licensors
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Vladlen Tatarsky era um fervoroso defensor da invasão russa da Ucrânia e conduzia um debate num café de São Petersburgo quando foi morto

PUBLICIDADE

As autoridades russas estão a tentar apurar os responsáveis por trás do ataque com uma bomba artesanal que matou um conhecido bloguista militar, num café do centro de São Petersburgo.

O ataque fez também perto de três dezenas de feridos. Segundo testemunhas, Vladlen Tatarsky conduzia um debate no café quando uma mulher, que se identificou apenas como Nastya, lhe ofereceu uma caixa com um busto do bloguista, que explodiu poucos minutos depois.

Vladlen Tatarsky era o pseudónimo de Maxim Fomin, que contava com mais de 560.000 seguidores na sua conta da rede social Telegram.

Contrariamente a muitos outros bloguistas militares russos, Tatarsky comentava regularmente os acontecimentos a partir da linha da frente dos combates, na Ucrânia.

O ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia prestou homenagem ao bloguista, afirmando tratar-se de um "defensor da verdade", que era "perigoso" para a Ucrânia e morreu "cumprindo o seu dever", e criticou a falta de reação do Ocidente.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rússia aborta lançamento do foguetão Angara-A5 a minutos da descolagem

Rússia e Cazaquistão vivem "piores cheias em décadas"

Centenas de russos protestam contra “inércia” das autoridades após inundações