EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Presidente do Níger detido em tentativa de golpe de Estado

Militares anunciaram golpe de Estado no Níger.
Militares anunciaram golpe de Estado no Níger. Direitos de autor AP/AP
Direitos de autor AP/AP
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Chefe da diplomacia do Níger afirma: “nós somos as autoridades legítimas."

PUBLICIDADE

Na capital do Níger, grupos de manifestantes saíram à rua em protesto contra a tentativa de golpe de Estado, que agora parece consumada, e em apoio ao Presidente.

Eleito democraticamente, Mohamed Bazoum foi detido por elementos da Guarda Presidencial.

A tentativa de golpe mereceu a condenação da comunidade internacional. A União Africana, França, EUA e a União Europeia condenaram a ação e apelaram à libertação do presidente e da família. O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, também“condenou firmemente a mudança anticonstitucional do governo."

Os soldados do Níger, que dizem representar "forças de defesa e segurança", anunciaram na televisão que derrubaram o governo, dissolveram a constituição e fecharam as fronteiras.

O chefe da diplomacia do país, por outro lado, afirmou “nós somos as autoridades legítimas."

O presidente do Benin, Patrice Talon, país vizinho, está, ao que tudo indica, a caminho para mediar o conflito como representante da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (ECOWAS).

"Mesmo quando se faz o que não é aceitável, é preciso que possamos corrigir tudo através da paz. Essa é a nossa primeira opção. Pensamos que será um sucesso”, sublinhou Talon.

O presidente Mohamed Bazoum faz parte de um grupo cada vez menor de líderes pró-ocidentais na região do Sahel.

Foi eleito há dois anos, na primeira transferência de poder pacífica e democrática do país desde a independência de França em 1960.

Bazoum assumiu o comando de um país devastado pela pobreza e com uma história de turbulência crónica.

As ameaças à liderança podem minar os esforços do Ocidente em estabilizar a região.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

França vai retirar "ainda hoje" cidadãos nacionais do Niger

União Europeia condena golpe militar no Níger e suspende cooperação com país

Forças russas destacadas para base aérea ocupada por norte-americanos no Níger