EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

França vai retirar "ainda hoje" cidadãos nacionais do Niger

Manifesta*ão de apoio ao general Abdourahmane Tchiani e contra França, em Niamey, Niger
Manifesta*ão de apoio ao general Abdourahmane Tchiani e contra França, em Niamey, Niger Direitos de autor Sam Mednick/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Sam Mednick/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Decisão de Paris é justificada com os recentes episódios de violência junto à embaixada no país africano. Governo francês é acusado de querer repor no poder presidente deposto.

PUBLICIDADE

França vai começar a retirar do Niger ainda esta terça-feira os cidadãos nacionais que permanecem no país

O ministério francês dos Negócios Estrangeiros justifica a decisão com base nos episódios de violência contra a embaixada francesa na capital e o encerramento do espaço aéreo.

Paris tem sido acusada de orquestrar a reposição de Mohamed Bazoum no poder, através de uma intervenção militar, após o presidente ter sido deposto, na passada sexta-feira, por uma junta militar.

As acusações têm sido negadas por França, apesar de o governo ter admitido ainda esperar er o presidente deposto na liderança do país.

Presidente do Chade em missão diplomática

O presidente do Chade, Mahamat Déby ,deslocou-se ao Níger, esta segunda-feira, naquela que é a primeira missão diplomática de mediação no país africano, desde o golpe de Estado da passada sexta-feira .

Déby começou por se encontrar com o general Abdourahmane Tchiani, o líder da junta militar que desde então governa o país.

Cinco dias após o derrube do governo, foi divulgada a primeira fotografia do presidente deposto. Julga-se que Mohamed Bazoum se encontre detido no palácio presidencial na capital, Niamey.

Comunidade internacional condena golpe de Estado

O golpe foi prontamente condenado pela Orgnaização das Nações Unidas (ONU).

Já a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) deu à junta uma semana para repor o presidente. Em comunicado, o bloco afirmou estar diposto a tomar "todas as medidas" para restaurar a ordem constitucional, nomeadamente "o uso da força".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Níger: CEDEAO ameaça “uso de força" se não voltar a ordem constitucional

Milhares em manifestações de apoio à junta militar no Níger

Presidente do Níger detido em tentativa de golpe de Estado