EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Presidente húngara visita a Ucrânia

A presidente da Hungria, Katalin Novák, está de visita à Ucrânia
A presidente da Hungria, Katalin Novák, está de visita à Ucrânia Direitos de autor Matthias Schrader/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Matthias Schrader/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

"Aqueles que estão sob ataque podem contar com os húngaros", disse Katalin Novak, em Beregovo.

PUBLICIDADE

Aqueles que estão sob ataque podem contar com os húngaros. Esta foi uma das principais mensagens da presidente húngara Katalin Novak, que participou numa missa ecuménica em Beregovo, na Ucrânia.

A chefe de Estado visitou os Cárpatos ucranianos, onde vive uma minoria húngara. "Trouxe-vos a força de 15 milhões de pessoas, 15 milhões de húngaros, a vós aqui em Beregovo, na Transcarpátia, na Ucrânia. A esperança, a segurança, a certeza que temos, que teremos um futuro comum, mesmo que agora não consigamos ver como lá chegamos", declarou a presidente.

Katalin Novak também se reuniu com representantes das autoridades regionais ucranianas, do Ministério dos Negócios Estrangeiros e da comunidade húngara.

Novak viajará para Kiev, esta quarta-feira, a convite do presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, para uma reunião da chamada Plataforma da Crimeia. 

O governo húngaro tem uma posição controversa sobre a guerra na Ucrânia e as suas relações com o governo ucraniano são tensas, em parte devido à situação da minoria húngara na Ucrânia. A posição da presidente húngara está mais próxima da ocidental, condenou claramente a agressão russa e a sua viagem a Kiev visa melhorar as relações.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Televisão pública húngara emite debate político pela primeira vez em 18 anos

Na Hungria, uma nova oposição liderada por Péter Magyar desafia Viktor Orbán

Opositor de Orbán mobiliza milhares em manifestação anti-governo