EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

“Adieu": trotinetes elétricas deixam Paris

Medida está longe de agradar aos turistas que visitam a cidade.
Medida está longe de agradar aos turistas que visitam a cidade. Direitos de autor Lewis Joly/Copyright 2019 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Lewis Joly/Copyright 2019 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Capital francesa é a primeira cidade europeia a proibir o aluguer de e-scooters.

PUBLICIDADE

Apreciadas pelos turistas, mas detestadas por muitos habitantes locais.

As trotinetes elétricas (e-scooters) começaram a ser retiradas das ruas de Paris. O dia 1 de setembro foi a data estabelecida pelas autoridades para o fim do aluguer das mesmas.

Em causa está um referendo, que data de 2 de abril deste ano, em que os habitantes de Paris votaram a favor da medida. Ao todo, 89% dos parisienses rejeitaram este meio de transporte. Só 11% apoiaram, o que não foi suficiente para deter o avanço da medida drástica.

Muitos habitantes queixam-se da conduta imprópria dos condutores de trotinetes elétricas: a ziguezaguear no trânsito, a alta velocidade, por vezes provocando acidentes com condutores e peões.

"Começámos a remover nossas 5 mil scooters no domingo passado. E, aos poucos, só as nossas 5 mil bicicletas self-service ficarão nas ruas. Por isso, estamos a remover, principalmente, entre 400 e 500 scooters por dia, entre as 22:00h e 06:00h, com seis ou sete funcionários a trabalharem especialmente nesta operação”, explicou Clément Pette, responsável operacional da empresa Tier, de aluguer de scooters, em França.

Paris é a primeira cidade europeia a tomar medidas tão drásticas.

As empresas de scooters dizem que implantarão os produtos e serviços em outros lugares.

A capital portuguesa também sofre dos mesmos males, de acordo com muitos habitantes.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Mobilidade urbana: as empresas e as autoridades devem dialogar e encontrar soluções

Macron pede que antissemitismo seja discutido nas escolas após violação de uma jovem judia

Líder da extrema-direita opõe-se ao envio de tropas francesas para a Ucrânia