EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

O mundo aplaude Narges Mohammadi, vencedora do Prémio Nobel da Paz

Foto fornecida pela Fundação Narges Mohammadi em 2 de outubro de 2023. Foto sem data e não localizada da ativista iraniana dos direitos humanos Narges Mohammadi.
Foto fornecida pela Fundação Narges Mohammadi em 2 de outubro de 2023. Foto sem data e não localizada da ativista iraniana dos direitos humanos Narges Mohammadi. Direitos de autor -/AFP or licensors
Direitos de autor -/AFP or licensors
De  Luis GuitaEuronews com AFP, AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Líderes mundiais e organizações internacionais elogiaram a escolha do Comité do Prémio Nobel da Paz.

PUBLICIDADE

A ativista iraniana Narges Mohammadi, vencedora do Prémio Nobel da Paz, é vice-diretora do Centro de Defensores dos Direitos Humanos no Irão.

Antes de ser presa pela última vez, ela deixou uma mensagem de esperança a quem luta pela liberdade.

“Um dia cantaremos canções de vitória juntos com alegria e deleite em nosso próprio país, e vocês ouvirão essa voz. Até esse dia, meus cumprimentos”

O marido e o filho de Narges Mohammadi vivem exilados em França. Ficaram entusiasmados com a notícia da atribuição do Nobel. Uma recompensa pela incansável campanha de Narges pelos direitos das mulheres, pela democracia e contra a pena de morte.

“Ela ficaria muito feliz em saber que ganhou o Prémio e reafirmará a a sua determinação como sempre. Ela tem uma frase que repete: 'Cada prémio torna-me mais intrépida, mais resiliente e mais corajosa para realizar o ser humano'. direitos, liberdade, igualdade civil e democracia.' " afirmou o marido de Mohammadi, Taghi Rahmani.

Esta é uma batalha reconhecida internacionalmente. Os líderes mundiais e as organizações internacionais elogiaram a escolha do Comité do Prémio Nobel da Paz.

“Gostaria de dar as boas-vindas sinceramente ao Prémio Nobel da Paz atribuído a Narges Mohammadi, uma ativista dos direitos das mulheres e defensora dos direitos humanos. Acho que é uma mensagem muito importante e definitivamente acolhemos,” declarou a Presidente do Parlamento Europeu, Roberta Metsola.

É a segunda vez em 20 anos que o Prémio Nobel da Paz é atribuído a uma activista iraniana dos direitos das mulheres. Shirin Ebadi foi homenageada pelo seu trabalho pioneiro na luta pela democracia em 2003. Enfrentando, foi forçada a fugir do país. Mora em Londres desde 2009.

O Irão reagiu dizendo que a atribuição do Nobel da Paz é "decisão tendenciosa e política".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Jornalista e Nobel da Paz Maria Ressa absolvida em Manila

Prémio Nobel da Paz 2022 condenado na Bielorrússia

Sul-africanos lembram Nobel da Paz Desmond Tutu