Mais de 165 mil afegãos obrigados a abandonar o Paquistão

Organizações de direitos humanos denunciam violência das autoridades paquistanesas
Organizações de direitos humanos denunciam violência das autoridades paquistanesas Direitos de autor WAKIL KOHSAR/AFP or licensors
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Prazo para partidas voluntárias terminou a 1 de novembro. Governo paquistanês estima que haja 1,7 milhões de afegãos em situação irregular no território

PUBLICIDADE

Face ao ultimato, mais de 165 mil migrantes afegãos deixaram o Paquistão para regressar ao país natal, no mês de outubro. Islamabad tinha dado o prazo até 1 de novembro para partirem voluntariamente, sob pena de serem detidos e posteriormente deportados.

Foram abertos 49 centros de detenção, em todo o país, sendo que o governo paquistanês estima que haja 1,7 milhões de afegãos em situação irregular no território e afirma que pretende manter "a segurança", após os atentados que atribui a grupos radicais do país vizinho.

Esta quinta-feira, em Karachi, foram detidas mais de uma centena de pessoas. As organizações de direitos humanos denunciam ameaças e comportamentos violentos da parte das autoridades.

Estima-se que, só desde agosto de 2021, quando os talibãs tomaram o poder em Cabul e impuseram a lei islâmica, cerca de 600 mil afegãos abandonaram o país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Regresso forçado de milhares de afegãos satura fronteira com o Paquistão

Dois prisioneiros detidos em Guantánamo regressam ao Afeganistão

A viragem da política de imigração da Alemanha: necessidade ou jogo político?