Qatar diz que 39 mulheres e crianças foram libertadas das prisões israelitas

Qatar diz que 39 mulheres e crianças foram libertadas das prisões israelitas
Direitos de autor Tsafrir Abayov/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Crescente Vermelho confirmou a libertação de 24 reféns do Hamas- 13 reféns israelitas e 10 tailandeses e um filipino (ao contrário dos 12 tailandeses que foram anunciados inicialmente).

PUBLICIDADE

Qatar afirma que 39 mulheres e crianças foram libertadas das prisões israelitas. A informação foi avançada pelo porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros do Qatar, Majed Al Ansari. Esta libertação de palestinianos faz parte do acordo entre Israel e o Hamas. 

A meio da tarde, o primeiro grupo de reféns israelitas foi entregue aos cuidados do Crescente Vermelho. Os 13 libertados sairam de Gaza, passaram pelo Egito e, de acordo com o exército de Telavive, já estão em território israelita.

Uma refém com cidadania portuguesa está entre os libertados esta sexta-feira pelo Hamas, uma informação confirmada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal.

Além destes 13 reféns libertados esta tarde pelo Hamas, as autoridades da Tailândia anunciaram que foram libertados também tailandeses que foram capturados pelo movimento islamita a 7 de outubro.

A notícia foi confirmada pelo Primeiro-ministro da Tailândia, Srettha Thavisin, numa publicação na rede social X, onde escreve "foi confirmado pelo Departamento de Segurança e pelo Ministério das Relações Exteriores que 12 reféns tailandeses libertados. Os funcionários da embaixada estão a caminho para buscá-los dentro de uma hora." 

Entretanto, o Crescente Vermelho confirmou a libertação de 24 reféns - 13 reféns israelitas e 10 tailandeses e um filipino (ao contrário dos 12 tailandeses que foram anunciados inicialmente). Os reféns tailandeses foram libertados no âmbito de um acordo separado da trégua entre o Hamas e Israel, tendo sido mediado pelo Irão.

A trégua de quatro dias permite a libertação de 50 reféns do Hamas por troca com 150 palestinianos detidos em prisões israelitas. Em ambos os casos, trata-se sobretudo de mulheres e crianças.

O acordo prevê ainda um dia adicional de cessar-fogo por cada dez reféns adicionais libertados pelo Hamas.

Fonte do movimento palestiniano disse à Al-Jazeera que admitiam libertar mais civis, mas que os militares israelitas seriam mantidos sob a sua custódia até à libertação dos mais de sete mil palestinianos presos em Israel.

Partilhe esta notíciaComentários