Protestos contra eleições "fraudulentas" continuam em Belgrado

Pessoas reúnem-se durante um protesto em frente ao edifício do Tribunal Constitucional da Sérvia em Belgrado, Sérvia, sexta-feira, 26 de janeiro de 2024
Pessoas reúnem-se durante um protesto em frente ao edifício do Tribunal Constitucional da Sérvia em Belgrado, Sérvia, sexta-feira, 26 de janeiro de 2024 Direitos de autor Associated Press
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Os opositores do Presidente da Sérvia, Aleksandar Vučić, reuniram-se em frente ao edifício do Tribunal Constitucional, na sexta-feira, para exigir que as eleições do mês passado sejam anuladas e realizadas de novo, devido a alegadas irregularidades generalizadas.

PUBLICIDADE

O grupo Sérvia Contra a Violência - uma coligação de partidos políticos da oposição - acusou o governo populista do Presidente Aleksandar Vučić de orquestrar uma fraude nas eleições parlamentares e locais de 17 de dezembro, particularmente na capital Belgrado.

Vučić negou as acusações que lhe foram feitas.

A comissão eleitoral estatal declarou o Partido Progressista Sérvio de Vučić vencedor das eleições e rejeitou as queixas da oposição. O Tribunal Constitucional ainda não se pronunciou sobre a disputa.

O político da oposição Radomir Lazovic disse que "esta é uma batalha de todos nós, todos perdem com isto [com a manipulação de votos]".

Cerca de 2.000 pessoas marcharam também em direção à sede da estação pública de televisão sérvia RTS, que acusam de ser pró-governamental.

A man holds a banner that reads: "Students Future of Serbia" during protest in front of Serbia's Constitutional Court building in Belgrade, Serbia, Friday, Jan. 26, 2024.
A man holds a banner that reads: "Students Future of Serbia" during protest in front of Serbia's Constitutional Court building in Belgrade, Serbia, Friday, Jan. 26, 2024.Associated Press

Os observadores eleitorais internacionais relataram casos de compra de votos e de enchimento de urnas e afirmaram que as eleições sérvias decorreram, em geral, em "condições injustas".

Os partidos da oposição e os observadores eleitorais locais independentes afirmaram que os eleitores foram transportados para Belgrado para votar no partido no poder, depois de terem sido registados em endereços falsos.

Milhares de pessoas manifestaram-se durante dias no final de dezembro, acusando Vučić de ter roubado o boletim de voto. A polícia usou gás pimenta e deteve dezenas de pessoas depois dos manifestantes terem tentado entrar na Câmara Municipal de Belgrado numa das manifestações.

Embora Vučić diga que quer levar a Sérvia a aderir à União Europeia - à qual tem concorrido desde 2012 - os críticos acusam o líder populista de impor uma autocracia ao assumir o controlo dos principais meios de comunicação social e de todas as instituições do Estado.

A UE, por seu lado, afirmou que a Sérvia deve reforçar o Estado de direito e as liberdades democráticas para se tornar membro do bloco de 27 nações.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Polícia sérvia detém 38 pessoas após protestos contra resultados eleitorais

Sétima semana de protestos "Sérvia contra a violência"

Navalny foi morto porque seria libertado em acordo de troca de prisioneiros, diz aliada do opositor