Agricultores na Hungria e na Polónia revoltados com a concorrência da Ucrânia

Agricultores húngaros mobilizaram-se junto à fronteira com a Ucrânia
Agricultores húngaros mobilizaram-se junto à fronteira com a Ucrânia Direitos de autor Tamas Kovacs/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Agricultores na Hungria e na Polónia organizam protestos contra prorrogação da isenção de taxas aduaneiras à importação de produtos ucranianos.

PUBLICIDADE

Os agricultores europeus continuam a luta contra as exigências da Política Agrícola Comum e os acordos comerciais para a entrada de alimentos provenientes de países que não integram a União Europeia, como a Ucrânia ou o Brasil.

Na Hungria, um grupo de agricultores organizou um protesto contra a isenção de taxas aduaneiras à importação de produtos ucranianos perto da fronteira com a Ucrânia esta sexta-feira.

A manifestação foi convocada pelo presidente do maior sindicato de agricultores do país, que é também deputado do Fidesz, partido no poder.

Dezenas de tratores bloquearam a principal estrada que faz ligação à fronteira ucraniana.

Muitos dos agricultores que participaram no bloqueio culparam a União Europeia pelas dificuldades que o setor agrícola húngaro enfrenta. 

A proposta da Comissão Europeia para prorrogar por mais um ano a isenção de taxas alfandegárias à importação de produtos agrícolas ucranianos foi o principal gatilho para os protestos dos agricultores húngaros.

"Muitos dos nossos problemas, especialmente os que foram impostos pelos burocratas da UE, estão a atingir-nos a todos em conjunto. Já se aperceberam de que a entrada quase sem restrições de mercadorias de origem ucraniana está a causar dificuldades de mercado também para eles", declarou Imre Rácz do sindicato dos agricultores MAGOSZ durante a mobilização.

Os agricultores polacos também estão indignados com o fluxo descontrolado de cereais ucranianos e outros produtos agrícolas no mercado local.

Durante esta nova onda de protestos, os agricultores bloquearam estradas e postos de fronteira com a Ucrânia, denunciando a asfixia do setor e a falta de medidas do governo.

"Nós também precisamos de sobreviver e queremos ganhar a vida de forma simples. É por isso que estamos em greve, para que os nossos cereais sejam os nossos cereais. O governo deve bloquear os cereais ucranianos, é tão simples quanto isso", exige um agricultor.

A mobilização dos agricultores na Polónia deverá prosseguir durante um mês. Até agora já foram reportados mais de 260 bloqueios em todo o país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Polónia prolonga direito de residência a refugiados ucranianos

Suecos divididos sobre adesão à NATO: "Sempre fomos um país neutro"

Bloqueio de autoestrada na Polónia torna-se permanente