Rússia coloca primeira-ministra da Estónia na lista dos "procurados"

Kaja Kallas "procurada" pelo Kremlin
Kaja Kallas "procurada" pelo Kremlin Direitos de autor Christophe Ena/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Kremlin considera que Kaja Kallas faz parte dos líderes que "ultrajam a memória histórica" da Rússia.

PUBLICIDADE

A primeira-ministra da Estónia, Kaja Kallas, é agora oficialmente procurada pela Rússia. É a primeira vez que o país coloca um líder político estrangeiro na lista oficial dos procurados. O documento não especifica quais as acusações que Kaja Kallas enfrenta, mas a chefe do governo da Estónia tem sido um dos líderes mais ativos na campanha pela ajuda à Ucrânia e pelo endurecimento das sanções à Rússia. 

O Kremlin já comentou a medida: "Pessoas como ela são responsáveis por decisões que são, de facto, um ultraje à memória histórica. Estas pessoas tomam medidas hostis em relação à memória histórica e ao nosso país", disse Dmitri Peskov, porta-voz de Vladimir Putin.

Kallas provocou a ira de Moscovo ao mandar retirar dos espaços públicos da Estónia monumentos aos soldados soviéticos da Segunda Guerra Mundial. Mais recentemente, o país báltico expulsou o metropolita da Igreja Ortodoxa russa por alegadamente defender a invasão da Ucrânia. A Estónia, à semelhança das outras repúblicas bálticas, Letónia e Lituânia, foi anexada pela URSS no fim da guerra e esteve sob alçada de Moscovo até à independência em 1991.

A Estónia ainda não comentou a decisão de Moscovo. Uma decisão com poucos ou nenhuns efeitos práticos, já que as relações entre a Estónia e a Rússia estão congeladas desde o início da invasão em larga escala da Ucrânia, há quase dois anos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Primeira-ministra da Estónia é a única chefe de Governo procurada pela Rússia

Como é o Natal numa base militar a 150 quilómetros da fronteira russa

Kallas sem maioria e sem travar crescimento da extrema direita na Estónia