Lloyd Austin compromete-se com mais ajuda à Ucrânia

Austin com o homólogo ucraniano Rustem Umerov,
Austin com o homólogo ucraniano Rustem Umerov, Direitos de autor Michael Probst/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Michael Probst/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews com AP, EBU
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O secretário norte-americano da Defesa deixou essa garantia num encontro com responsáveis da Defesa de todo o mundo, na base aérea alemã de Ramstein.

PUBLICIDADE

Os EUA continuarão a apoiar o esforço de guerra da Ucrânia contra a Rússia, mesmo com o impasse no Congresso sobre uma nova remessa de armas. A promessa foi deixada pelo secretário norte-americano da Defesa, Lloyd Austin, perante uma plateia de mais de 50 líderes de defesa da Europa e de todo o mundo, reunidos na Base Aérea de Ramstein, na Alemanha.

"Durante mais de dois anos, as forças ucranianas lutaram contra a agressão de Putin com habilidade e uma atitude desafiante. Atualmente, as tropas ucranianas enfrentam condições difíceis e combates duros. Os civis ucranianos suportam ataques constantes de mísseis russos e drones iranianos. Mas a Ucrânia não vai recuar, e os Estados Unidos também não", disse Austin

O Ministro alemão da Defesa, Boris Pistorius, disse aos jornalistas que a Alemanha fornecerá munições e veículos blindados e de transporte no valor de cerca de 500 milhões de euros.

A União Europeia está a avançar com um plano para utilizar os lucros gerados por milhares de milhões de euros de ativos russos congelados na Europa para ajudar a fornecer armas e outros fundos para a Ucrânia, disse um alto funcionário na terça-feira.

O líder da política externa da UE, Josep Borrell, obteve luz verde para o plano da maioria dos ministros dos Negócios Estrangeiros do bloco esta semana, e espera que os líderes da UE o aprovem numa cimeira em Bruxelas que começa na quinta-feira.

Novos ataques na Ucrânia e na Rússia

A aldeia ucraniana de Zhelanne, na região de Donetsk, foi evacuada pela polícia devido aos constantes bombardeamentos russos sobre a povoação. A maioria dos habitantes retirados são pessoas com mobilidade reduzida. Os mais recentes bombardeamentos fizeram vários feridos e deixaram casas destruídas nesta povoação.

A Ucrânia continua também a atingir a Rússia. Três pessoas ficaram feridas na sequência de um ataque de drones na cidade russa de Belgorod na terça-feira, de acordo com o governador regional Vyacheslav Gladkov.

Entre os feridos conta-se um adolescente de 14 anos a quem foi amputada parte de um membro. A mãe também ficou gravemente ferida no ataque, disse Gladkov.

Vídeos publicados nas redes sociais mostram casas danificadas e carros queimados.

Durante a noite, dois drones ucranianos foram abatidos sobre Belgorod e outro sobre a região vizinha de Voronezh, informou o Ministério russo da Defesa, que não deu pormenores sobre quaisquer danos ou feridos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Crianças ucranianas enfrentam traumas devido ao conflito com a Rússia

Ucrânia lança ataque com drones de longo alcance no último dia da votação presidencial da Rússia

França, Alemanha e Polónia aceleram fornecimento de armas à Ucrânia