Pelo menos cinco mortos e oito feridos após ataque com míssil em Kharkiv

Estima-se que haja cinco pessoas presas nos escombros dos edifícios atingidos em Kharkiv
Estima-se que haja cinco pessoas presas nos escombros dos edifícios atingidos em Kharkiv Direitos de autor Vadim Ghirda/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Um ataque numa área industrial em Kharkiv fez cinco mortos e oito feridos. Há ainda cinco pessoas desaparecidas.

PUBLICIDADE

Um míssil russo atingiu uma área industrial na cidade ucraniana de Kharkiv na quarta-feira. Pelo menos cinco pessoas morreram e outras oito pessoas ficaram feridas. Há ainda cinco pessoas desaparecidas. O ataque resultou num grande incêndio.

O presidente Volodymyr Zelenskyy disse que o ataque expôs as fragilidades na defesa aérea de Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia, e noutros lugares, particularmente nas regiões do norte, perto da fronteira com a Rússia.

A região de Kharkiv, que faz fronteira com a Rússia a norte e fica perto da linha de frente, tem sofrido ataques regulares de drones e mísseis ao longo destes dois anos de guerra.

O chanceler alemão, Olaf Scholz, saudou na quarta-feira as decisões para permitir o uso de fundos europeus para comprar armas de fora da Europa para a Ucrânia.

"Trata-se de solidariedade e não de política económica", afirmou perante o parlamento alemão em Berlim antes do Conselho Europeu.

"Apoiaremos a Ucrânia enquanto for necessário, ao mesmo tempo, garantiremos que a NATO não se torna parte deste conflito e não aceitaremos uma paz ditada às custas da Ucrânia", declarou.

O líder alemão também apontou a importância de intensificar a produção de armas e sublinhou a relevância do acordo recente para construir a capacidade de produção na Ucrânia.

Alemanha, França e Polónia prometeram adquirir mais armas para Kiev e intensificar a produção de equipamentos militares junto com parceiros na Ucrânia, assegurando que a Ucrânia pode confiar no trio de potências europeias enquanto tenta superar a escassez de recursos militares.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ucrânia intensifica ataques com drones contra a Rússia

"EUA não vão deixar a Ucrânia fracassar", diz secretário de Estado da Defesa norte-americano

Lloyd Austin compromete-se com mais ajuda à Ucrânia