EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Abertura da Bienal de Veneza marcada pelas guerras

Bienale de Veneza
Bienale de Veneza Direitos de autor La bienalle website
Direitos de autor La bienalle website
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Uma das principais feiras de arte, música, cinema, pintura e arquitetura da Europa abre as suas portas com alguns pavilhões fechados em protesto contra as guerras.

PUBLICIDADE

A Bienal de Veneza 2024 abre hoje oficialmente ao público, embora os pavilhões de muitos países já estivessem abertos e pudessem ser visitados.

A 60ª edição da Bienal conta com a presença de mais de 300 artistas de 88 países, incluindo o Benim, Timor-Leste, Etiópia e Tanzânia, que participam pela primeira vez.

Ao mesmo tempo, Veneza, uma das maiores e mais famosas exposições de arte do mundo, não é alheia às guerras em curso.

Uma Bienal afetada pelas guerras

A Rússia não estará presente no evento, pela segunda vez consecutiva. O pavilhão russo, por decisão do lado russo, é utilizado pela "amiga" Bolívia.

A arte contemporânea ucraniana, por outro lado, está presente, com projetos artísticos dedicados aos ucranianos que estão espalhados pelo mundo e que lutam por unidade e apoio, desafiando simultaneamente os estereótipos sobre os refugiados ucranianos na Europa.

Uma manifestação pró-palestiniana em frente ao pavilhão israelita reuniu centenas de pessoas no início da semana; a manifestação no recinto da Bienal decorreu sob forte segurança.

O pavilhão israelita, no entanto, está encerrado como medida de protesto contra a guerra: os curadores do pavilhão decidiram fechar as portas até que seja alcançado um cessar-fogo e os reféns sejam libertados. Teoricamente, é possível que reabra, uma vez que a Bienal decorrerá até ao final de novembro.

Preços acessíveis para visitar a Bienal

O bilhete diário custa 30,5 euros e dá acesso a todos os pavilhões, havendo também a possibilidade de comprar bilhetes a preços reduzidos se for estudante ou se for um grupo grande ou quiser entrar durante vários dias: 40,5 euros para três dias, por exemplo.

Há também a possibilidade de entrar em grupos guiados em inglês ou italiano por um suplemento de 8,5 euros.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Bienal de Veneza: Leão de Ouro para a Austrália e o coletivo Maori Mataaho

Artista encerra pavilhão israelita na Bienal de Veneza

Bienal da dança de Lyon: um evento popular festivo e inclusivo sob a direção de Tiago Guedes