EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Parlamento alemão debate violência no país e condena ataque contra Robert Fico

Imagem de Arquivo do Parlamento alemão
Imagem de Arquivo do Parlamento alemão Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Todos os oradores no Parlamento alemão condenaram o atentado contra o primeiro-ministro eslovaco. Em 2023, ocorreram 2.790 ataques contra titulares de cargos políticos na União Europeia.

PUBLICIDADE

O Parlamento alemão debateu, na quinta-feira, a violência contra voluntários, políticos e serviços de emergência, enquanto o primeiro-ministro eslovaco, Robert Fico, recupera de uma alegada tentativa de assassinato.

O atentado contra uma das figuras mais controversas do bloco decorreu durante um período marcado por um clima político cada vez mais violento e antes das eleições europeias de junho.

Todos os oradores no Parlamento alemão condenaram o ataque contra o populista Fico, segundo as agências internacionais, e alteram para a crecente violência política na Alemanha.

Na União Europeia, o cenário político está a tornar-se cada vez mais polarizado, sem barreiras entre os partidos tradicionais, por um lado, e com os populistas e os extremistas, por outro. Só em 2023, foram registados 2.790 ataques a titulares de cargos políticos na UE.

Tino Chrupalla, co-líder do partido Alternativa para a Alemanha (AfD) afirmou que os ataques a membros e simpatizantes de todos os partidos assumiram “proporções terríveis”.

“Condenamo-los na sua totalidade. Devem ser investigados e os seus autores punidos sem restrições. Estou a referir-me diretamente a todos os partidos deste Parlamento e de outros. Não devemos fazer distinções. No entanto, muitos deles estão agora a facilitar as coisas para si próprios e a jogar a carta do extremismo, como ouvimos o Ministro dizer. Mas isso é exatamente o que os cidadãos já sabem. Ou a culpa é novamente da AfD, ou do Putin”, alegou Chrupalla, citado pelas agências internacionais.

Também a ministra alemã dos Assuntos da Família, Lisa Paus, citada pelas agências internacionais, referiu que “A violência não deve ter lugar na política europeia”.

Robert Fico já não corre perigo de vida

O primeiro-ministro da Eslováquia, que foi alvejado na quarta-feira, continua internado no hospital de Banska Bystrica, mas já não corre perigo de vida. No entanto, embora Robert Fico se encontre estável, ainda está em estado crítico.

De acordo com a diretora do hospital, Miriam Lapunikova, Fico permanece na unidade de cuidados intensivos do hospital, depois de ter sido submetido a uma operação de urgência que durou várias horas.

O presidente eleito eslovaco, Peter Pellegrini, visitou o primeiro-ministro no hospital, na quinta-feira, e adiantou que Fico está consciente e consegue comunicar verbalmente.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Eslovacos condenam ataque contra o seu primeiro-ministro

Líderes mundiais reagem à tentativa de assassinato do PM eslovaco Robert Fico

Espionagem para a China: polícia faz buscas no gabinete de eurodeputado alemão de extrema-direita